Intel busca aquisições e intensifica consolidação entre fabricantes de chips

Brooke Sutherland

(Bloomberg) - A busca da Intel Corp. pela maior aquisição de sua história só apoia a realização de mais transações no setor de semicondutores.

A maior fabricante de chips do mundo está negociando a compra da Altera Corp. e engrossa o que já é o começo de ano mais sólido em matéria de aquisições já registrado no setor. Os investidores recompensaram a Intel na sexta-feira com o maior ganho intradiário em seis anos. A incursão da empresa de US$ 149 bilhões no círculo de compradores poderia dar mais incentivos a outros fabricantes de semicondutores que enfrentam um crescimento medíocre para realizar aquisições por conta própria.

A Texas Instruments Inc., a maior fabricante de semicondutores analógicos, prima pela ausência no alvoroço de fusões e aquisições. A última compra de grande tamanho da empresa de US$ 61 bilhões foi realizada em 2011. A Atmel Corp., a Silicon Laboratories Inc. e a Microchip Technology Inc. estão entre os potenciais alvos ainda vigentes. Cada uma dessas empresas oferece um negócio constante com amplas oportunidades de redução de custos se for incorporada a uma empresa maior, disse Ian Ing, da MKM Partners.

"Sem dúvida, há mais por vir", disse Gavin Slader, diretor administrativo do grupo de investment banking da JMP Securities com foco no setor de tecnologia, em entrevista por telefone. "Eu quase diria que quem não tiver concluído uma transação neste momento tem que estar pensando em se vender a outra empresa ou em fazer uma aquisição".

Até mesmo a Broadcom Corp., cujo valor de mercado é de US$ 26 bilhões, poderia atrair o interesse de compradores, disse Romit Shah, da Nomura Holdings Inc.

Um representante da Broadcom, com sede em Irvine, Califórnia, não quis comentar, e representantes da Silicon Labs, com sede em Austin, Texas; da Atmel, com sede em San Jose, Califórnia; e da Microchip Technology, com sede em Chandler, Arizona, disseram que suas empresas não comentam especulações.

Consolidação

Foram concluídas transações por US$ 19,5 bilhões no setor em 2014 - o máximo valor em três anos - e o volume em 2015 já quase ultrapassou essa cifra.

Um dos principais impulsionadores da consolidação são as economias de escala, já que as empresas estão tentando preservar sua competitividade com redução de custos e melhor utilização das fábricas. Outro fator é a necessidade de revigorar o crescimento das vendas à medida que o setor de fabricação de chips amadurece.

A Intel informará uma queda de 0,4 por cento da receita em 2015, seu terceiro declínio em quatro anos. A compra da Altera reforçaria a posição de domínio da Intel no ramo de centros de processamento de dados e ajudaria a empresa com sede em Santa Clara, Califórnia, a se expandir em setores como a infraestrutura de comunicações e os aplicativos industriais, disseram analistas da Pacific Crest Securities liderados por Michael McConnell em um relatório publicado no domingo.

Menos alvos

Uma quantidade maior de aquisições implica um menor número de alvos disponíveis, e isso poderia fazer com que empresas como a Broadcom subam posições nas listas de compras dos adquirentes. O valor empresarial de US$ 22 bilhões da Broadcom equivale a cerca de 13 vezes seu fluxo de caixa livre no ano passado, um múltiplo menor do que os da maioria das fabricantes americanas de chips de tamanho similar, segundo dados compilados pela Bloomberg.

A Intel poderia estar interessada e ainda teria capacidade para realizar uma compra desse tipo mesmo se concluir a aquisição da Altera, disse Chris Rolland, analista da FBR Co. em Nova York.

Para as empresas com valor de mercado inferior a US$ 5 bilhões que continuam sendo autônomas, os desafios de ter um porte menor só vão piorar. A Atmel, com US$ 3,5 bilhões, é a primeira opção de Rolland para próximo alvo de aquisição, porque possui uma escala inferior, crescimento baixo e o potencial de se beneficiar por fazer parte de uma empresa maior.

"Muitas dessas semiempresas menores, e com isto eu me refiro àquelas de US$ 1 bilhão a US$ 1,5 bilhão, vão ter que pensar muito bem", disse Slader da JMP Securities. "Faz sentido conservar a independência ou faz sentido buscar uma saída estratégica?".

Título em inglês: 'Intel's Deal Ambition Ramps Up Chipmaker Consolidation: Real M&A'

Para entrar em contato com a repórter: Brooke Sutherland, em Nova York, bsutherland7@bloomberg.net

Últimas notícias Ver mais notícias