Banheira para 12 e 16 vagas de carro: lista traz motéis mais caros do país

Thâmara Kaoru
Do UOL, em São Paulo

Os motéis mais caros do Brasil estão em Mato Grosso e Goiás, segundo um levantamento feito pelo site Guia de Motéis e divulgado com exclusividade pelo UOL.

A hospedagem com o preço mais alto é a da suíte Zeus Prime, no Eros Motel, em Cuiabá (MT). Custa R$ 1.790 aos sábados, para um período de 12 horas. Ao todo, são 1.200 m², com três quartos, três camas, hidromassagem, piscina com cascata, churrasqueira, sauna e pole dance. A garagem, só para essa suíte, tem capacidade para 16 carros. O hotel diz que cabem até cem pessoas. O espaço é usado para festas privadas.

O segundo quarto mais caro é a suíte Real de outro Eros Motel, mas que fica em Aparecida de Goiânia (GO). Tem boate, bar dentro da piscina, salão de jogos, cascata, churrasqueira, banheira para 12 pessoas e telão. A permanência por 12 horas aos sábados custa R$ 1.500.

Em terceiro lugar, aparece a suíte Mansão Sagitário, do Motel Sagitário, em Ananindeua (PA). O preço para o mesmo período é de R$ 1.262. O local acomoda até três casais, com acesso a spa, piscina com cascata, pole dance, mesa de bilhar, cozinha e equipamentos de musculação.

O ranking considera os motéis cadastrados no site Guia de Motéis e que divulgam seus preços. Foram considerados os valores em fevereiro para hospedagem aos sábados, por 12 horas. Dos 3.446 motéis presentes no site, 2.000 fornecem os valores. Segundo a Associação Brasileira de Motéis (ABMotéis), há um total de 5.000 estabelecimentos registrados no país.

E os motéis de Rio e São Paulo?

Por que cidades conhecidas pelo alto custo de vida, como Rio de Janeiro e São Paulo, não aparecem no topo da lista? Para Roberto Discher, presidente do Guia de Motéis, a explicação está no custo do terreno nessas regiões. Segundo ele, como em outros Estados os terrenos são mais baratos, é possível construir motéis maiores e oferecer suítes com mais atrativos. Consequentemente, conseguem cobrar mais.

No Rio e em São Paulo, por outro lado, os terrenos são mais caros, os motéis tendem a ser menores e os donos preferem construir uma quantidade maior de suítes, com uma metragem menor cada um. O preço, portanto, fica mais baixo se comparado a outros Estados.

Motel subiu menos que inflação oficial

A evolução dos preços das suítes ficou abaixo da inflação em 2016, também segundo o levantamento do site Guia de Motéis. O INPM (Índice Nacional de Preços da Motelaria) fechou o ano passado em 4,57%, enquanto a inflação oficial medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) encerrou 2016 em 6,29%. Segundo o site, isso mostra que os motéis estão se tornando uma opção mais acessível para os casais.

A pesquisa foi feita com 1.105 motéis, o que representa de 70% a 90% dos estabelecimentos existentes em cada uma das capitais em que o índice foi apurado, segundo Rodolfo Elsas, fundador e diretor do Guia de Motéis.

Últimas notícias Ver mais notícias