Motorista assume volante de Uber autônomo a cada 1,3 km, diz relatório

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Eric Risberg/AP Photo

    Fileira de Volvo XC90 autônomos usados pelo Uber em São Francisco (Califórnia)

    Fileira de Volvo XC90 autônomos usados pelo Uber em São Francisco (Califórnia)

Quem está antenado às novidades do setor automotivo já percebeu o quanto as montadoras estão tentando acelerar o processo de estabelecimento de automóveis 100% autônomos para até antes de 2020.

Muitos modelos, caso de Volvo XC90 e Mercedes-Benz Classe E, já são comercializados com recursos dotados de tecnologia parcialmente autônoma. No entanto, há indícios de que ainda resta certo chão para que a tecnologia seja confiável e os carros, capazes de rodar 100% do tempo sem intervenção humana.

É o que indica um relatório interno da divisão de automóveis autônomos da Uber, divulgado pelo site Recode.

A empresa de transporte individual por aplicativo está testando 43 protótipos autônomos nos Estados americanos da Pensilvânia, Arizona e Califórnia. As corridas são realizadas com clientes que solicitam o serviço normalmente, como se fossem ser atendidos com automóveis convencionais.

Algumas das corridas já terminaram em barbeiragem. E é justamente pela falta de funcionamento totalmente confiável do sistema é que, de acordo com o relatório, os motoristas desses autônomos precisam assumir o volante a cada 1,3 quilômetro, em média.

Uber autônomo fura sinal vermelho; veja

Intervenções de emergência

Segundo o estudo, os protótipos estão rodando quase 33 mil quilômetros por semana. As razões para a intervenção humana vão desde marcações de faixa apagadas e condições climáticas desfavoráveis (como chuva forte) até falhas de operação de sensores, câmeras e outros dispositivos que não funcionam conforme esperado.

O maior problema é que, em boa parte das vezes, a intervenção humana ocorrem quando o risco de acidente já está iminente, resultando em ações como frenagens bruscas, por exemplo. Nos Estados onde os testes são conduzidos, bater o protótipo autônomo em outro carro ou atropelar pedestre rende multa acima de US$ 5.000 (cerca de R$ 15 mil).

O resultado do relatório vai para a mídia durante uma batalha judicial entre a Uber e o Google, que acusa a primeira de "roubar" tecnologia de condução autônoma por meio de engenheiros que trabalhavam para o Google e foram contratados pela empresa de transporte por aplicativo.

Últimas notícias Ver mais notícias