Ibovespa sobe puxado por ações de siderúrgicas

O desempenho positivo das ações da Vale e das demais empresas siderúrgicas ajudou a sustentar a alta do Ibovespa no primeiro pregão da semana. O índice subiu 0,37% aos 68.474 pontos com giro financeiro de R$ 12,2 bilhões, inflado pelo vencimento de opções sobre ações na B3, que girou R$ 3,70 bilhões.


Dois motivos favoreceram o desempenho positivo dos papéis das companhias siderúrgicas. O primeiro foi a divulgação do IBC-Br, índice que funciona como previa do PIB (Produto Interno Bruto), e que subiu 1,05% em março, enquanto a projeção média dos economistas consultados pelo Valor Data era de uma queda de 0,99%.


As empresas do setor de siderurgia que produzem aços planos usados na fabricação de carros, eletrodomésticos da linha branca, máquinas e equipamentos são beneficiadas pelo crescimento da economia.


Outro fator positivo para o desempenho do setor foi a alta dos papéis dos pares da Vale no mercado internacional. As ações da Rio Tinto e da BHP subiram mais de 2% e causaram um movimento de arbitragem com as ações brasileiras. "São movimentos específicos do setor. O dia foi de espera por um novo driver que possa consolidar o movimento de alta do Ibovespa", diz um operador.


As ações PNA da Vale subiram 2,15% e os papéis ordinários ganharam 2,86%. As demais ações do setor siderúrgico também operam em alta. As ações da CSN subiram 6,06%, os papéis da Usiminas tiveram alta de 6,04%, as ações da Gerdau Metalúrgica ganharam 4,29% e Gerdau subiu 3,74%.


As ações da Petrobras também fecharam em alta, seguindo a valorização do preço do petróleo no mercado internacional. Os contratos futuros tipo WTI para junho fecharam em alta de 2,11% a US$ 48,85 o barril. As ações ordinárias da Petrobras subiram 1,63% e os papéis preferenciais tiveram alta de 1,49%.


Os ministros de Energia da Arábia Saudita e da Rússia divulgaram declaração conjunta, hoje, anunciando a prorrogação dos cortes de extração dos maiores países produtores até março de 2018.


Para o analista gráfico da XP Investimentos, Danilo Zanini, o mercado de ações está em um movimento positivo. "Acredito que o índice tem espaço para ir até os 71 mil pontos no curto prazo, entre maio e setembro. Entretanto, neste período pode haver correção de preços com movimentos laterais ou de leve queda", diz.


As ações do sistema financeiro fecharam com comportamentos distintos. Os papéis do Banco do Brasil tiveram a maior queda do dia, de 1,81%. O JP Morgan reduziu hoje a recomendação para as ações do banco de "overweight" (exposição acima da média de mercado) para neutra. O banco também diminuiu o preço-alvo para os papéis em R$ 2, para R$ 37. Hoje, as ações foram negociadas a R$ 34,75. A maior alta do setor ficou com as ações do Santander, que subiram 1,12%.


Entre as maiores quedas do dia ficaram os papéis da Marfrig, que recuaram 4,29% e as ações da Sabesp que tiveram baixa de 2,36%. A Marfrig divulgou na semana passada que teve prejuízo líquido no primeiro trimestre de R$ 233,2 milhões, mais do que o dobro na comparação com o prejuízo de R$ 106,2 milhões reportado pela companhia no mesmo período do ano anterior. A Sabesp divulgou na sexta-feira que teve lucro líquido de R$ 674,4 milhões no primeiro trimestre, crescimento de 7,3% em relação ao mesmo período de 2016.


Fora do Ibovespa, as ações PNB da Cesp subiram 1,71% e os papéis ordinários ficaram estáveis em R$ 14,20. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse que irá privatizar a empresa até o fim de 2017. Alckmin está em Nova York para uma série de reuniões com possíveis investidores aos projetos de desestatização e de concessões no Estado de São Paulo.

Últimas notícias Ver mais notícias