Foi flanelinha, passou fome para juntar vale-refeição e hoje fatura R$ 4 mi

Larissa Coldibeli
Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    Roberto Gonzaga (à dir.) recebe prêmio da franqueadora nos EUA

    Roberto Gonzaga (à dir.) recebe prêmio da franqueadora nos EUA

Roberto Gonzaga, 24, começou a trabalhar aos 11 anos, cuidando de carros na feira perto de sua casa, em São Paulo. Depois disso, foi vendedor de cursos de inglês e de serviços de limpeza para empresas. Foi assim, como empregado, que conheceu a Jan-Pro, franquia de limpeza comercial. Hoje, ele é dono de uma unidade que comprou com o dinheiro economizado do vale-refeição, e fatura R$ 4 milhões por ano.

Muitas vezes voltei para casa com fome quando estava economizando dinheiro, mas valeu a pena porque consegui realizar sonhos. Comprei uma casa, tenho carro do ano e fiz várias viagens. Este ano vou passar as férias em Dubai."

Mas seu relacionamento com a empresa não começou bem. Aos 18 anos, conseguiu o emprego como vendedor, mas não durou muito na vaga – foi demitido seis meses depois. "Eu estava acostumado a vender direto para o cliente final, não para empresas. Tive dificuldade para me adaptar", afirma.

Trabalhou na concorrência antes de virar franqueado

Seu emprego seguinte foi em uma empresa concorrente. Lá, aprendeu a vender, foi promovido sete vezes em apenas oito meses, chegando ao cargo de supervisor de equipe de vendas. O bom desempenho lhe rendeu um convite para voltar à Jan-Pro, dessa vez como gerente, cuidando de vendas e dando treinamento aos franqueados. 

Em um ano, fechei contratos milionários e fui eleito o terceiro maior vendedor de serviços da rede no mundo. Naquele momento, eu decidi que estava na hora de ganhar dinheiro para mim e que queria me tornar franqueado."

A Jan-Pro é uma rede americana e está presente em 12 países. Para alcançar sua meta, ele passou a economizar os cerca de R$ 400 por mês que recebia de vale-refeição. Com investimento de cerca de R$ 7.000 na época –uma parte foi parcelada-, ele inaugurou sua unidade em maio de 2013.

Lailson Santos/Divulgação
A Jan-Pro é uma franquia americana de limpeza comercial presente em 12 países

Atualmente, o investimento inicial para uma unidade parte de R$ 7.500, com custos de instalação, taxa de franquia e capital de giro. O modelo de trabalho é home office. O faturamento médio mensal é de R$ 5.000, com lucro médio de 80% (R$ 4.000) se o franqueado trabalhar sozinho e de 40% (R$ 2.000) se tiver funcionários. Os dados foram fornecidos pela empresa.

Quatro anos depois da inauguração do negócio próprio, Gonzaga diz que o faturamento em 2017 deve bater os R$ 4,5 milhões. Ele emprega 170 pessoas e tem como clientes escritórios, academias, escolas, condomínios, entre outros. Também continua dando treinamento de vendas para franqueados.

Saber vender é necessário em franquia

Luis Stockler, consultor da BaStockler, especializada em franquias, diz que a experiência de Gonzaga como funcionário o ajuda a ter sucesso com a franquia. "Tem muita gente que diz que quer ser empresário, mas não quer fazer sacrifícios como os que ele fez ao longo da vida. Não existe sucesso de graça."

Ele diz que saber vender é um talento necessário em qualquer franquia. "Mesmo se tiver funcionários, é o franqueado que tem que treinar e motivar a equipe, por isso, é importante gostar dessa tarefa. A franqueadora não estará lá todo dia para ajudar nisso", declara.

Onde encontrar:

Jan-Pro: www.jan-pro.com.br

Últimas notícias Ver mais notícias