Leilões do pré-sal em outubro atraem 17 grandes petroleiras

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os leilões para concessão de áreas para exploração de petróleo e gás natural na região do pré-sal brasileiro, agendados para outubro, receberam inscrição de 17 empresas interessadas, disse nesta quinta-feira o secretário de Petróleo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Félix.

A segunda e a terceira rodadas de licitação do pré-sal, em regime de partilha, serão ambas realizadas em 27 de outubro pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Eles oferecerão no total oito blocos nas bacias de Santos e de Campos, alguns dos quais vistos como entre os mais promissores ativos do setor no mundo.

A ANP havia dito anteriormente que 15 empresas manifestaram interesse na segunda rodada e 10 na terceira, mas não estava imediatamente claro quantas empresas diferentes se registraram no total.

Segundo o regulador, todas as inscritas são grandes petroleiras.

Os campos do pré-sal brasileiro já em atividade têm mostrado produtividade acima do esperado, o que cria grandes expectativas sobre o potencial das novas áreas na região a serem licitadas.

Os pedidos de inscrição das empresas serão analisados nas reuniões da Comissão Especial de Licitação da ANP, marcadas para 13 e 25 de setembro e 2 de outubro.

Cada leilão terá quatro áreas. A segunda rodada ofertará quatro áreas com jazidas unitizáveis, ou seja, adjacentes a campos ou prospectos cujos reservatórios se estendem para além da área concedida. As áreas são relativas às descobertas denominadas por Gato do Mato e Carcará, e aos campos de Tartaruga Verde e Sapinhoá.

A Petrobras já manifestou interesse por Sapinhoá.

Já a terceira rodada ofertará quatro áreas localizadas nas bacias de Campos e Santos, na região do polígono do pré-sal, relativas aos prospectos de Pau Brasil, Peroba, Alto de Cabo Frio-Oeste e Alto de Cabo Frio-Central.

Na terceira rodada, a Petrobras já manifestou interesse por Peroba e Alto de Cabo Frio-Central.

De agora até 2019, com os nove leilões previstos, há uma expectativa de investimentos de 80 bilhões de dólares.

EXCEDENTE DA CESSÃO

Félix disse a jornalistas no Rio de Janeiro, após participar de evento do setor, que o Brasil também pretende realizar no primeiro semestre do próximo ano a licitação do direito de exploração de reservas adicionais em áreas cedidas à Petrobras em um acordo que ficou conhecido como "cessão onerosa".

Pelo acordo, a Petrobras tem o direito de retirar até 5 bilhões de barris nas áreas que obteve ao negociar a cessão onerosa, mas segundo Félix o governo estima que há ao menos 10 bilhões de barris a mais na região.

Esse possível leilão citado pelo secretário não consta do calendário da ANP.

O governo do presidente Michel Temer tem corrido para viabilizar a licitação de novas áreas de exploração de petróleo como parte de um plano para atrair investimentos privados para o país e impulsionar o crescimento econômico.

(Por Alexandra Alper)

Últimas notícias Ver mais notícias