Negociações com Fox poderiam levar um Murdoch à Disney

Anousha Sakoui, Christopher Palmeri e David Hellier

(Bloomberg) -- Enquanto a Walt Disney e a 21st Century Fox negociam uma fusão histórica de suas empresas, há uma pergunta que não quer calar: um Murdoch poderia acabar dirigindo a Disney?

A Disney, a maior empresa de entretenimento do mundo, está em negociações para a compra de ativos da Fox em uma transação que poderia chegar a US$ 50 bilhões ou mais. As empresas vêm negociando há mais de um mês a propriedade do canal de cabo FX, do serviço de TV paga britânico Sky e do estúdio de cinema e TV da Fox em Los Angeles.

James Murdoch, 44, filho do fundador Rupert Murdoch e CEO da Fox, poderia passar para a Disney se lhe oferecerem uma posição sênior na empresa após um acordo. Essa possibilidade gera fortes respostas de admiradores e detratores dos Murdoch e de seu reinado no império de mídia da Fox.

Alguns investidores e analistas dizem que existem poucos executivos com a experiência de James na construção e operação de uma empresa de mídia internacional. Outros se perguntam se a Disney deveria empregar um executivo que dirige uma empresa envolvida em escândalos, entre eles o grampo de telefones no Reino Unido e casos de assédio sexual no topo do Fox News Channel.

"Há duas maneiras de ver o assunto", disse Richard "Trip" Miller, acionista da Disney na Gullane Capital Partners. "Os Murdoch têm sido muito hábeis em criar valor para os acionistas a longo prazo. Por outro lado, algumas das coisas mais sensacionalistas feitas pelos Murdoch fazem com que você pare para pensar."

Saída elegante

A Fox, com sede em Nova York, não quis comentar e disse que James também não comentaria.

Um acordo com a Disney, com sede em Burbank, Califórnia, ainda não é algo certo. A Fox, liderada por Rupert, James e outro filho, Lachlan, não está conversando exclusivamente com a Disney. Há uma possibilidade de a Comcast fazer uma oferta melhor ou até de não acontecer nada.

Mas passar a administrar alguns dos ativos vendidos à Disney, com a possibilidade de obter um cargo alto na gigante de cinema, TV e parques temáticos seria uma saída elegante para James. Ele está cansado da enxurrada de escândalos da Fox News, organização que, tecnicamente, administra, mas que não controla totalmente.

Seu pai defende causas conservadoras, mas James Murdoch e sua esposa, Kathryn, fundaram a Quadrivium, uma fundação com foco na promoção da ciência, da igualdade de oportunidades e de causas ambientais. Isto o deixa mais alinhado politicamente com o CEO da Disney, Bob Iger, que neste ano se demitiu do conselho de assessores do presidente dos EUA, Donald Trump, após um desacordo sobre políticas climáticas.

Contudo, a ideia de James Murdoch ocupando uma posição sênior na Disney ou na linha de sucessão de Iger provoca fortes reações de especialistas em governança.

"James, apesar de suas ambições pessoais, tem pouca credibilidade para ser considerado um criador de empresas bem-sucedidas, capitão prudente dos ativos dos acionistas ou um guardião sensato da confiança pública como barão da mídia -- ou de qualquer empresa não controlada pelo legado da fortuna do pai", disse Jeffrey Sonnenfeld, coordenador associado sênior para estudos sobre liderança da Faculdade de Administração da Universidade Yale.

Últimas notícias Ver mais notícias