Exportação de carne do Brasil cresce 12% em novembro; China puxa embarques, diz Abrafrigo

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações de carne bovina do Brasil, entre in natura e processada, cresceram 12 por cento em novembro na comparação com igual mês de 2017, para 158,24 mil toneladas, informou nesta sexta-feira a Associação Brasileira de Frigoríficos, que compilou dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

A receita no período avançou 5 por cento na comparação anual, para 618 milhões de dólares.

Com o fechado do mês passado, a Abrafrigo reiterou sua previsão de um aumento de 10 por cento nas vendas externas de carne bovina do Brasil, em volume, em todo o ano de 2018.

Entre janeiro e novembro, já foi embarcado quase 1,49 milhão de toneladas, contra 1,35 milhão em iguais 11 meses de 2017. A receita cambial com as exportações no acumulado de 2018 totaliza 5,96 bilhões de dólares, alta de 8 por cento.

Segundo a Abrafrigo, a China continua sendo a grande responsável pelo bom desempenho da carne bovina nas exportações brasileiras. Até novembro, as importações chinesas via Hong Kong e as realizadas pelo continente somaram 656,39 mil toneladas, com receita de 2,68 bilhões de dólares.

Com isso, a China elevou sua participação total nas vendas brasileiras do produto de 37,7 por cento em 2017 para 43,9 por cento em 2018, destacou a associação.

Além disso, o Egito também elevou suas compras para 166,40 mil toneladas, alta de 20,3 por cento, enquanto o Chile importou 84 por cento mais, com 103,53 mil toneladas.

A maioria dos países integrantes da União Europeia também elevou suas aquisições de carne bovina do Brasil em 2018, sendo os mais representativos a Alemanha (+12,6 por cento); Espanha (+ 24,7 por cento); Reino Unido (+12,9 pr cento).

No total do acumulado até novembro, 108 países ampliaram suas importações de carne bovina do Brasil, enquanto outros 54 apresentaram redução.

(Por José Roberto Gomes)

Últimas notícias Ver mais notícias