Ainda não sabe aonde ir neste fim de ano? Veja como viajar sem gastar muito

Natalia Gómez
Colaboração para o UOL, em Maringá (PR)

  • Getty Images/iStockphoto/ismagilov

Com a aproximação das festas de fim de ano, muitas pessoas começam a sonhar com uma viagem para relaxar ou visitar a família. Se este é o seu caso, mas você não fez nenhum planejamento para passar o Natal ou o Réveillon longe de casa, ainda dá tempo de programar uma viagem que caiba no orçamento.

Apesar de esta ser a época mais cara do ano, algumas dicas ajudam a controlar as despesas para que você possa viajar. Veja abaixo.

Leia também:

Comece definindo um orçamento

Se você deixou para pensar na viagem de fim de ano na última hora, o primeiro passo é definir quanto pode gastar.

A partir daí, será possível escolher o destino, tipo de acomodação e passeios, segundo Guilherme Moraes, planejador financeiro certificado pela Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar). "Não adianta pensar primeiro no destino, porque a conta muitas vezes não fecha."

Procure destinos menos badalados

Viagens para lugares mais cobiçados, como Rio de Janeiro, Florianópolis (SC), cidades do Nordeste ou no litoral brasileiro devem ser evitadas devido aos preços elevados.

Interior de São Paulo e Minas Gerais ou Serra Gaúcha são algumas sugestões para quem deseja economizar, pois são menos procurados. "O final do ano é propício para viagens alternativas", afirmou Moraes.

Para viagens internacionais, destinos como Santiago (Chile) ou Mendoza (Argentina) também são boas opções, segundo ele.

Prefira acomodações com cozinha

Se o dinheiro está curto, uma dica para economizar na viagem é buscar uma acomodação que tenha cozinha, como uma casa ou apartamento alugado. Segundo Moraes, fazer algumas refeições em casa pode ajudar a reduzir os gastos de forma expressiva. 

"Esta é uma boa dica principalmente para famílias com crianças. Embora não tenha o mesmo conforto de um hotel, você vai economizar dinheiro", afirmou.

Coloque a família no mesmo quarto de hotel

Caso opte por um hotel, coloque toda a família no mesmo quarto, sem separar pais e filhos em acomodações diferentes.

Muitos hotéis acomodam duas crianças de até 12 anos gratuitamente no mesmo dormitório dos pais, o que torna quartos quádruplos mais atrativos, segundo a gerente de Suporte a Vendas da CVC, Viviane Pio. 

Escolha voos fora do horário de pico

Se for viajar de avião, na hora de comprar a passagem aérea, tente evitar os horários mais movimentados, como finais de semana, e também evite o fluxo de executivos, que gostam de embarcar entre 7h e 8h nos dias úteis.

Segundo a porta-voz da CVC, terça e quarta-feira são os dias mais baratos para voar, e o melhor horário é o do almoço, que muitas vezes tem preços tão baixos quanto os voos de madrugada.

"Muitas vezes, as pessoas determinam uma data para viajar e ficam com aquilo na cabeça, mas ter esta flexibilidade pode gerar uma economia na passagem", disse.

Aproveite promoções de agências de viagem

Em alguns casos, é possível encontrar promoções de agências de viagens. Às vezes, elas contratam hotéis e voos e não conseguem vender tudo, então baixam os preços para tornar os pacotes mais atrativos, segundo Moraes.

"Nem sempre a promoção será para o seu destino de escolha, mas é algo que deve ser olhado."

Procure não se endividar

Mesmo que a vontade de viajar seja grande, o ideal é que os gastos não superem 20% do seu colchão financeiro, segundo Mauro Calil, fundador da Academia do Dinheiro. "Até 50% da sua reserva, acende uma luz amarela. Acima disso, é melhor não fazer a viagem", declarou.

Segundo ele, o ideal é não se endividar para viajar, pois todo financiamento envolve o pagamento de juros. "Não fique endividado porque é muito ruim, independentemente da cor da areia da praia."

Se este for o seu caso, Calil orienta que comece a separar dinheiro agora mesmo para a viagem do ano que vem e aplique em investimentos conservadores, como fundos de renda fixa ou Tesouro Selic.

Considere todos os custos envolvidos

Além do transporte até o destino e das acomodações, não deixe de considerar outros custos, como transporte no destino, alimentação, passeios e compras. Para quem vai viajar de carro, uma recomendação é calcular os gastos com combustível e pedágio.

Segundo Moraes, muitas pessoas esquecem de pensar nesses itens e acabam gastando mais do que podiam. "Para viagens internacionais, tem ainda o seguro saúde e o visto, em alguns casos, e tudo deve ser considerado", afirmou. Ele diz que pesquisar e comparar preços é fundamental, pois a viagem é uma grande somatória de preços.

Últimas notícias Ver mais notícias