Esperanças sobre comércio e Itália impulsionam índices europeus para melhor dia em 8 meses

Danilo Masoni e Julien Ponthus

MILÃO/LONDRES (Reuters) - Os índices acionários europeus viveram um rali nesta quarta-feira (12), depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, adotou um tom otimista sobre um acordo comercial com a China e maior otimismo sobre a Itália obter um compromisso com a União Europeia sobre seu controverso Orçamento de 2019.

Uma notícia reacendendo a conversa sobre uma possível fusão envolvendo o Deutsche Bank ajudou o índice de ações da zona do euro a subir 1,8%, o maior ganho diário desde abril.

O índice está em baixa de 11,5% no acumulado do ano, depois de tocar seu menor nível em dois anos no início deste mês, arrastado por sinais de que o crescimento econômico global está desacelerando e por preocupações sobre a estabilidade política na Europa.

Trump disse na véspera que as negociações comerciais com a China estavam avançando, com discussões por telefone e probabilidade de novos encontros entre autoridades dos dois países. Beneficiaram-se do otimismo sobre o comércio setores como materiais, automotivo e tecnologia, todos com alta superior a 2%.

"Esperanças de uma resolução para as disputas comerciais entre os EUA e a China parecem mais promissoras", disse Vincent-Frederic Mivelaz, analista de mercado no Swissquote Bank.

O índice do Reino Unido FTSE 100 subiu 1,1%, com apostas de que a primeira-ministra Theresa May iria sobreviver a um desafio de sua liderança.

O índice FTSEurofirst 300 fechou em alta de 1,68%, a 1.381 pontos.

  • Em Londres, o índice Financial Times avançou 1,08%, a 6.880 pontos.
  • Em Frankfurt, o índice DAX subiu 1,38%, a 10.929 pontos.
  • Em Paris, o índice CAC-40 ganhou 2,15%, a 4.909 pontos.
  • Em Milão, o índice Ftse/Mib teve valorização de 1,91%, a 18.945 pontos.
  • Em Madri, o índice Ibex-35 registrou alta de 1,35%, a 8.853 pontos.
  • Em Lisboa, o índice PSI20 valorizou-se 1,35%, a 4.842 pontos.
Últimas notícias Ver mais notícias