Em meio à 3ª onda de violência, Colombo (PSD) é reeleito governador de SC

Do UOL, em São Paulo

  • Julio Cavalheiro/Divulgação

    Raimundo Colombo (PSD, ao centro de camisa azul) durante campanha em SC

    Raimundo Colombo (PSD, ao centro de camisa azul) durante campanha em SC

Com o Estado mais uma vez envolvido em uma onda de violência orquestrada pelo crime organizado de dentro dos presídios, a terceira desde 2012, Raimundo Colombo (PSD), 59, foi reeleito neste domingo (5) governador de Santa Catarina no primeiro turno. Seu principal opositor foi Paulo Bauer (PSDB), 57.

De acordo com os resultados finais da apuração, o governador chegou à vitória com 51,36% dos votos válidos, contra 29,90% de seu adversário tucano. O companheiro de chapa de Colombo, Dário Berger (PMDB), também foi eleito neste domingo ao conquistar 42,82% dos votos válidos na disputa pela vaga de senador por Santa Catarina.

Fonte: TSE

Antes de chegar ao governo do Estado, Colombo foi prefeito de Lages, sua cidade natal, por três mandatos (1989-1992, 2001-2004 e 2005-2006), além de deputado federal e senador por Santa Catarina. Nos dois casos, deixou os mandatos legislativos para assumir cargos no Executivo.

Desde o dia 26 de setembro, mais de 90 ataques ordenados pela facção criminosa PGC (Primeiro Grupo Catarinense) a ônibus e alvos policiais foram registrados em mais de 30 cidades. Na quinta-feira (2), homens atiraram contra o Palácio do Governo de Santa Catarina, acertando a guarita. 

Em 2011, no seu primeiro ano de governo, Colombo enfrentou a primeira crise na área de segurança pública no Estado, com várias fugas de presos e denúncias sobre a precariedade do sistema carcerário catarinense. Ele então decidiu desativar a penitenciária de Florianópolis. 

Para enfrentar a atual onda de violência, a Secretaria Estadual de Segurança recriou a "sala de situação" usada em 2012 e 2013, um centro de controle informatizado no QG da PM, em Florianópolis. Ali PM e Polícia Civil comandam a resposta às ações criminosas.

Neste ano, Colombo também viu Santa Catarina alagar por causa das fortes chuvas que atingiram o Estado. O governador se reuniu com o ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, e anunciou a liberação emergencial de R$ 5,38 milhões para assistência aos cerca de 20 mil afetados em 31 cidades.

Metade desse valor era dinheiro do governo federal a ser direcionado para reconstrução de pontes, estradas e estações de tratamento de água.

Durante a campanha, Colombo prometeu aumentar os contingentes das polícias Militar e Civil do Estado, além de capacitar as equipes das delegacias para melhorar o atendimento à população, muito criticado no Estado.

O governador também prometeu a incorporação de novas tecnologias na área de segurança e eliminar o deficit de vagas no sistema prisional do Estado. Na pauta de Colombo está ainda fortalecer o processo de ressocialização dos detentos e promover melhorias na gestão de pessoal na área de segurança.

Durante seu governo, com o PSD aliado no plano federal à presidente Dilma Rousseff (PT), Colombo recebeu um aporte de R$ 10 bilhões em empréstimos para o programa Pacto por Santa Catarina, um grande programa de gestão dos projetos, com investimentos previstos até 2019.

Dois anos depois do lançamento, foram investidos R$ 2,3 bilhões dos R$ 10,7 bilhões previstos para o período. Entre os principais investimentos até o meio de 2014, estavam a revitalização das rodovias, a ampliação dos presídios e obras em hospitais de Chapecó, Lages e Itajaí.

Está prevista para terminar até o fim do ano a ampliação do Centro de Pesquisas Oncológicas na capital. 

Na saúde, o governador prometeu implantar um programa de produtividade médica, concluir as reformas e ampliações nos hospitais do Estado e adotar um sistema informatizado com cotação prévia de valores e procedimentos. 

Durante a campanha, seu adversário, Paulo Bauer, disse que era necessária a redução de metade dos cargos políticos existentes na administração estadual.  Segundo ele, Santa Catarina precisa de uma mudança de prioridades e uma gestão eficiente para o desenvolvimento do Estado.

Santa Catarina

Colombo comanda um Estado com mais de 6,5 milhões de habitantes, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) deste ano, e com um PIB (Produto Interno Bruto) de R$ 184 bilhões. Um terço da riqueza local vem da indústria e o resto do setor de serviços. 

Os índices sociais catarinenses estão entre os melhores do país. A expectativa de vida gira em torno dos 76,8 anos, enquanto a mortalidade infantil e o analfabetismo figuram entre os menores do ranking nacional.

Principais problemas

Nas enquetes "Esperançômetro" e "Avalie Seu Estado", do UOL, a maioria dos internautas de Santa Catarina diz que a segurança pública e o atendimento de saúde são motivos de preocupação e precisam ser melhorados. Os problemas relacionados às estradas aparecem em terceiro lugar. 

Raimundo Colombo
  • Partido: PSD
  • Nascimento: 28/02/1955, em Lages (SC)
  • Vice: Eduardo Pinho Moreira (PMDB)
  • Ocupação: governador
  • Coligação: Santa Catarina em Primeiro Lugar (PSD, PRB, PMDB, PR, PTB, PSC, PSDC, PROS, PV, PC do B, PDT, DEM)

Raio-X das Eleições

Arte/UOL

Veja a votação em presidente e governador no 1º turno e como ficou a composição do Congresso

Clique para ver

Eleições 2014 em Santa Catarina
Eleições 2014 em Santa Catarina
Últimas notícias Ver mais notícias