Em nova carta, Lula diz a Haddad: "Você sempre poderá contar comigo"

Bernardo Barbosa
Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Facebook

Em uma nova carta destinada ao candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) diz a seu substituto que "sempre poderá contar" com ele, e garante o apoio do partido e de aliados.

O UOL teve acesso a uma cópia do documento nesta quarta-feira (12), um dia depois de Haddad ser oficializado como o concorrente petista nas eleições. A carta foi dada por Lula a Haddad durante encontro entre os dois antes do anúncio oficial da troca de candidato.

A carta, datada de terça (11), pode ser lida hoje à tarde na primeira agenda pública de Haddad como presidenciável, em São Paulo. Mas, segundo a reportagem apurou, seria uma "carta pessoal" do ex-presidente ao substituto.

O texto busca mostrar que Lula e Haddad são uma pessoa só, na linha do slogan "Haddad é Lula", martelado de forma incessante pela campanha petista desde a apresentação de Haddad como candidato.

A mensagem segue a mesma linha de outra carta escrita por Lula e lida em evento petista ontem que anunciou a candidatura de Haddad.

Na nova mensagem, Lula diz que "não será fácil corrigir tudo o que fizeram de errado com o nosso país nos últimos dois anos", mas afirma que Haddad "tem experiência suficiente para enfrentar esses desafios."

"Você tem o apoio do PT e dos nossos aliados. Tem o Plano de Governo que elaboramos para tirar o país da crise. E sempre poderá contar comigo", diz o ex-presidente.

Lula também diz que Haddad vai representá-lo "nessa caminhada de volta à Presidência da República, para realizar novamente o governo do povo e da esperança."

O ex-presidente também afirma ter "muito orgulho" da "amizade" e "parceria" com Haddad, cujo mandato como ministro da Educação é exaltado por Lula como forma de conexão com o candidato.

"Juntos, tivemos oportunidade de fazer muitas coisas pelo nosso país, principalmente pela educação das crianças e dos jovens. Oferecemos oportunidades para milhões, graças ao Prouni, ao sistema de cotas, às novas universidades e escolas técnicas federais, à valorização dos professores, quando você foi meu ministro da Educação."

Mesmo ungido por Lula, Haddad nunca foi unanimidade no PT e ainda busca ser reconhecido pelos eleitores do ex-presidente como seu representante na eleição deste ano.

O grande desafio do PT e de Haddad é conseguir receber o potencial de votos antes destinado a Lula.

Nas últimas pesquisas em que o nome do ex-presidente apareceu, em agosto, seu patamar de intenção de voto estava acima de 30%, na liderança.

No Ibope de ontem, Haddad teve 8%, embolado no segundo lugar com Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB). O líder foi Jair Bolsonaro (PSL).

Últimas notícias Ver mais notícias