Boca de urna: Bolsonaro tem 45% dos votos válidos e Haddad, 28%, diz Ibope

Aiuri Rebello
Do UOL, em São Paulo*

  • Arte/UOL

Pesquisa boca de urna do Ibope divulgada no início da noite deste domingo (7) indica que haverá segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) nas eleições para presidente da República. Bolsonaro aparece com 45% dos votos válidos, enquanto Haddad aparece com 28%, em segundo lugar. Em terceiro lugar aparece na boca de urna Ciro Gomes (PDT), com 14%.

Os votos válidos são aqueles que excluem brancos e nulos -- ou seja, os que necessariamente são declarados a favor de uma candidatura. Para ser eleito em primeiro turno, o (a) candidato (a) precisa obter no mínimo 50% mais um voto do total de votos válidos.

A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Veja os números abaixo:

Pesquisa boca de urna para Presidência - 1º turno (votos válidos)

  • Jair Bolsonaro (PSL): 45%
  • Fernando Haddad (PT): 28%
  • Ciro Gomes (PDT): 14%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 4% 
  • João Amoêdo (Novo): 3%
  • Marina Silva (Rede): 2%
  • Álvaro Dias (Podemos): 1%
  • Cabo Daciolo (Patriotas): 1%
  • Henrique Meirelles (MDB): 1%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 1%
  • José Maria Eymael (DC): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): 0%
  • Vera Lúcia (PSTU): 0%

A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-07052/2018, e entrevistou 3.000 pessoas neste domingo (7). O contratante foi o próprio Ibope. O grau de confiança da pesquisa é de 99%.

Pesquisa é recebida com festa entre petistas e apoiadores de Bolsonaro

A pesquisa de boca de urna do Ibope foi recebida com muita festa entre petistas no hotel em São Paulo onde o candidato e aliados acompanham a apuração dos votos. Petistas gritaram e se abraçaram. O clima geral é de alívio, contrastando com a tensão anterior que era visível nos rostos dos apoiadores de Haddad.

Os militantes petistas comemoram quando foram anunciados os números da pesquisa boca de urna apontando segundo turno. Acompanhando a transmissão do BandNews TV por telões em uma sala em um hotel na zona sul de São Paulo, eles gritaram o nome do presidenciável petista quando o canal anunciou que Bolsonaro aparecia com 45% e Haddad, com 28%. O clima, porém, ainda é de tensão pela possibilidade de haver vitória do candidato do PSL em primeiro turno. Haddad e as principais lideranças do PT não estão na sala, mas em um local reservado acompanhando a apuração.

No Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca, os apoiadores e eleitores de Bolsonaro gritam "primeiro turno", "primeiro turno", após a divulgação do resultado da boca de urna. Eles se concentram em frente ao condomínio onde ele mora, no Rio de Janeiro.

Os participantes do ato demonstram confiança na vitória de Bolsonaro já neste domingo.

Pesquisa anterior

Na rodada anterior de pesquisa do instituto Ibope com as intenções de voto à Presidência, divulgada na noite de sábado (6), apontava que Bolsonaro seguia na liderança dos votos válidos, seguido por Haddad. Segundo o Ibope, Bolsonaro tinha 41% dos votos válidos, contra 25% de Haddad. A margem de erro também era de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Ciro Gomes (PDT) aparecia com 13% dos votos válidos, em quarto lugar aparecia o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), com 8%. Marina Silva (Rede) tinha 3%.

Segundo turno

O Ibope também fez quatro simulações de segundo turno na pesquisa divulgada no sábado. Apenas Ciro supera o candidato do PSL, que fica em empate técnico com Haddad e Alckmin. Bolsonaro vence Marina. Veja os números:

Haddad x Bolsonaro

• Bolsonaro: 45%
• Haddad: 41%
• Brancos/nulos: 12%
• Não souberam/não quiseram responder: 3%

Rejeição

O Ibope ainda mediu a rejeição aos candidatos, na pesquisa de sábado, perguntando aos entrevistados em quem não votariam de jeito nenhum. Bolsonaro e Haddad, líderes na intenção de voto, também são os campeões de rejeição.

Bolsonaro aparece com 43% de rejeição, contra 36% de Haddad. A seguir, surgem Marina (22%), Alckmin (16%), Ciro Gomes (15%) e Henrique Meirelles (10%).

Como era possível escolher mais de uma opção, a soma dos percentuais ultrapassa os 100%. (Colaboraram Nathan Lopes e Bernardo Barbosa, de São Paulo, Hanrrikson de Andrade, do Rio)

Últimas notícias Ver mais notícias