Em post, Bolsonaro relembra ausências de Lula e Dilma em debates

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Globo

Cobrado pelo candidato à Presidência Fernando Haddad (PT) por conta da ausência nos próximos debates, Jair Bolsonaro (PSL) publicou nesta quinta-feira (11) uma montagem com trechos de matérias antigas que citam casos de petistas que também faltaram a eventos em eleições passadas.

Bolsonaro lembrou das ausências dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva em 2006 e Dilma Rousseff em 2010. No caso dela, o PT era criticado por José Serra (PSDB) por não querer se expor, mesma crítica que Haddad faz hoje ao adversário.

Na última quarta-feira, Haddad criticou o fato de Bolsonaro não comparecer ao debate marcado para esta semana na Band e disse que "irá na enfermaria em que ele estiver" para "debater o Brasil".

Bolsonaro foi vetado pelos médicos de participar de eventos de campanha de rua ou debates. Ele passou por avaliação médica na manhã desta quarta-feira (10).

"Por enquanto ele não está liberado [para eventos de campanha]. Não sei a respeito do debate, sei que na quinta-feira [dia 18] ele estará conosco no [Hospital Albert] Einstein", disse Macedo. O candidato passará por uma nova avaliação média na próxima quinta-feira (18).

Após tomar conhecimento das declarações de Haddad, Bolsonaro escreveu em sua conta no Twitter que o petista é "marmita de corrupto preso".

O que os petistas falavam antes

A justificativa de Lula para não comparecer ao debate no primeiro turno de 2006 foi evitar "grosserias e agressões", segundo nota enviada pela campanha para a Globo três horas antes do debate.

"Não posso render-me à ação premeditada e articulada de alguns adversários que pretendiam transformar o debate desta noite em uma arena de grosserias e agressões, em um jogo de cartas marcadas", disse Lula, em carta dirigida à Globo.

Em 2010, Dilma não foi ao debate promovido pela Associação Comercial de São Paulo e recebeu críticas de Serra, que afirmou ser normal a ausência. "O PT tem evitado ao máximo debater e se expor".

Quatro anos depois, Dilma faltou novamente, desta vez à entrevista ao Jornal da Globo. A ex-presidente alegou que não participaria da entrevista por causa da agenda de campanha.

Últimas notícias Ver mais notícias