Mundo da música completa 19 anos sem Freddie Mercury

Da Redação

  • Divulgação

    Freddie Mercury priorizou a performance durante os shows desde o começo

    Freddie Mercury priorizou a performance durante os shows desde o começo

Há 19 anos o mundo da música perdia uma das vozes mais potentes e conhecidas do Rock na Roll. Aos 45 anos de idade o cantor Freddie Mercury, fundador da banda britânica Queen, morria devido a um 'simples' resfriado, agravado pelo fato de o cantor ser portador do vírus da AIDS.

Considerado um dos maiores intérpretes e compositores da história do Rock, Freddie Mercury nasceu em Zanzibar, na África, sob o nome de Farokh Bulsara, e se mudou com a família para a Inglaterra quando tinha 18 anos. Largou a faculdade de Artes na metade do curso e encontrou refúgio como cantor de pequenas bandas de Rock and Roll. Em 1970, se juntou ao guitarrista Brian May e ao baterista Roger Taylor para criar o Queen, que mais tarde iria contar com o baixista John Decon.
 
O Queen estourou em 1973 quando lançou o álbum de mesmo nome do conjunto e rapidamente se tornou um dos grupos mais conhecidos do mundo. O ápice da banda foi em 1975, com o disco "A Night at the Opera", que apresentou ao mundo o single "Bohemian Rhapsody", eleito pelos ingleses, em 2008, a melhor música já composta. No Brasil, Freddie Mercury tocou duas vezes com o Queen, em 1981, em São Paulo, e 1985, no Rock in Rio.
 
Queen - Bohemian Rhapsody (Rock in Rio, 1985)
 
 
Mesmo abalado, o cantor não parou de trabalhar e mostrou que a doença não era motivo para desistir da vida. Freddie escondeu a doença até o fim, só revelando ser HIV positivo menos de 24 horas antes de morrer. O álbum "The Great Pretender" foi lançado exatamente um ano depois de sua morte, só com inéditas gravadas nos últimos dias de vida do cantor. O título do disco sonoriza a homenagem abaixo, feita ao cantor pela internet.
 
Homenagem a Freddie Mercury

Últimas notícias Ver mais notícias