Melhor destino turístico de 2015 tem igrejas surreais e fica na África

Do UOL, em São Paulo

  • Marcel Vincenti/UOL

    A obra-prima de Lalibela é a igreja Bet Giyorgis, dona de um cume cruciforme

    A obra-prima de Lalibela é a igreja Bet Giyorgis, dona de um cume cruciforme

Considerado uma das principais entidades do mercado turístico do Velho Continente, o Conselho Europeu para Turismo e Comércio (CETC) acaba de eleger o melhor destino do mundo para viagens em 2015.

E o local escolhido fica no leste da África: trata-se da Etiópia, país que abriga importantes cidades históricas, paisagens naturais e monumentos religiosos.

Anton Caragea, presidente do CETC, justificou a eleição dizendo que o território etíope "preserva importantes monumentos da humanidade, como as ruínas da cidade de Aksum, as igrejas de Lalibela e o vale do Awash, onde a humanidade deu seus primeiros passos". 

iStock
A depressão de Danakil forma uma paisagem inacreditável na Etiópia

Caragea também destacou os parques nacionais do país, como o Simien National Park (patrimônio da Unesco e que abriga diversas espécies ameaçadas de extinção), e elogiou projetos do governo etíope que têm usado o turismo como ferramenta de combate à pobreza, o que também contribuiu para o prêmio. 

Igrejas e paisagens surreais

A Etiópia é um dos mais interessantes destinos culturais da África. A principal atração turística do país é a cidade de Lalibela, que abriga 11 igrejas esculpidas, a partir do século 13, nas montanhas locais. 

A mais linda delas é a igreja Bet Giyorgis, cuja estrutura monolítica, com 15 metros de altura, foi esculpida a partir de um único bloco de rocha vulcânica. O edifício fica dentro de um buraco retangular, com apenas seu topo cruciforme aparecendo na linha da superfície do terreno que o cerca.

Marcel Vincenti/UOL
Os cristãos etíopes acreditam que a Arca da Aliança está na cidade de Aksum

Localizada 320 km ao norte de Lalibela, Aksum, por sua vez, é uma cidade cercada de lendas: os etíopes juram que lá se encontram, guardados dentro de um templo, a Arca da Aliança e os Dez Mandamentos, que teriam sido trazidos de Jerusalém pelo imperador etíope Menelik 1º, que dizia ser filho do rei Salomão. Além de lindas igrejas, Aksum exibe 126 monumentos monolíticos conhecidos como estelas (com até 33 metros de altura e 1.700 anos) e construídos a mando de antigos monarcas da região.

Já na depressão de Danakil, o turista pode entrar em contato direto com paisagens surreais. O local exibe lagos de ácido sulfúrico, vulcões e gêiseres, em um terreno marcado por cores avermelhadas e alaranjadas. 

Vale lembrar que o Conselho Europeu para Turismo e Comércio costuma entregar seu prêmio para países menos conhecidos no mundo do turismo. No ano passado, o vencedor foi o Zimbábue e, em 2013, o Laos.  A Etiópia recebeu cerca de 700 mil turistas em 2014. 

Últimas notícias Ver mais notícias