"É um filme da nossa cultura pop", diz diretor sobre ficção baseada em Bozo

Felipe Branco Cruz
Do UOL, em São Paulo

O ator Vladimir Brichta e o diretor Daniel Rezende apresentaram na manhã deste domingo (4) na CCXP 2016 (Comic Con Experience), em São Paulo, o filme "Bingo - O Rei das Manhãs", sobre um palhaço nos anos 1980. O filme tem previsão de estreia para agosto de 2017.

O diretor comentou que o ator principal deveria ser o Wagner Moura, mas que ele não pôde participar. "Ele estava falando espanhol e produzindo pó", brincou o diretor, em referência ao personagem de Moura como Pablo Escobar na série "Narcos".

"Logo depois veio a ideia de chamar o Vladimir para fazer o Bingo. Eu percebi que ele era perfeito para o papel", completou Rezende, que levantou para aplaudir o ator. "E o Wagner Moura produziu muito conteúdo para o Bingo usar", brincou também Vladimir, em referência ao vício em cocaína do palhaço da TV.

Segundo o diretor, "Bingo" é baseado em uma história real, porém é tudo ficção. "Conta a história de um homem que queria ser famoso nos anos 1980, uma época de excessos, kitsch, sem noção. E ele encontra seu espaço quando vira palhaço e fica famoso. Mas por causa de uma cláusula do contrato, não pode revelar quem ele é. Ou seja, é um famoso anônimo e aí entram os conflitos. É um filme pop, da nossa cultura pop", explicou.

Vladimir também falou sobre seu personagem. "O Bingo é o Arlindo [Barreto, ator que interpretou Bozo na TV]. Eu tive que rememorar meus anos 1980. Consumi muita televisão daquela época. Eu assistia muito ao programa da Xuxa, porque ela vestia menos roupa que o palhaço. Eu também era encantado pela Gretchen", lembrou Brichta.

A atriz Tainá Muller, que interpreta a mulher de Bingo, estava na plateia e foi convidada para fazer parte do painel. "Eu fui uma criança que não tive babá. Eu tive TV. Então, eu acompanhava os programas de TV todos os dias", contou.

Durante o painel, foi exibido o trailer inédito do filme. Nele, são mostradas diversas piadas de duplo sentido que o palhaço faz em seus programas, deixando incrédulos os pais. "Ninguém acreditava que o programa dele seria líder de audiência", explicou o diretor.

Além do programa, o longa mostra também uma relação conturbada entre o palhaço e o seu filho. "Tem uma frase do filme que eu acho muito forte. O filho dele diz que ele é a única criança do mundo em que o pai brinca com todas as outras crianças menos com ela", revelou o diretor.

Vladmir Britcha e diretor de "Bingo" falam sobre filme

Últimas notícias Ver mais notícias