Ministra israelense usa vestido com imagens de Jerusalém e cria polêmica

Do UOL

  • Antonin Thuillier/AFP

    O vestido da ministra da Cultura e Esporte Miri Regev causou polêmica nas redes sociais

    O vestido da ministra da Cultura e Esporte Miri Regev causou polêmica nas redes sociais

Dias antes da visita de Donald Trump a Israel, Miri Regev, ministra da Cultura e Esporte do país, compareceu ao Festival de Cannes, na França, usando um vestido com imagens dos mais disputados pontos da cidade de Jerusalém. O traje foi escolhido em meio a grande repercussão internacional sobre a possibilidade da decisão do governo dos Estados Unidos de transferirem sua embaixada de lugar.

Antes de ser eleito, Trump declarou suas intenções de reconhecer Jerusalém como a capital israelense, ao transferir a representação americana para a cidade. A comunidade internacional costuma instalar seus prédios oficiais em Tel Aviv, reconhecida internacionalmente como a capital de Israel.

A controvérsia sobre a representação embaixada foi amplificada pelo funcionário americano responsável por organizar a visita do presidente no país. O oficial teria dito que o Muro das Lamentações, local sagrado do judaísmo, não está localizado em Israel, e sim na Cisjordânia, território habitado por palestinos.

O vestido usado por Miri Regev exibia o desenho do Muro das Lamentações e da Cúpula da Rocha, pontos turísticos de Jerusalém.

A roupa virou meme nas redes sociais. Alguns internautas compartilharam montagens em que o vestido da ministra exibia um muro, dividindo a região da Cisjordânia. Enquanto outros mostravam o vestido em chamas, para representar os conflitos entre palestinos e israelenses na cidade.

Últimas notícias Ver mais notícias