Afinal, Simmons pode patentear o chifre do metal? Saiba a história do gesto

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images

    O baixista e vocalista Gene Simmons, líder do Kiss

    O baixista e vocalista Gene Simmons, líder do Kiss

Gene Simmons está tentando patentear o "chifrinho do metal" e todo mundo sabe disso. Mas ele realmente conseguiria? Um símbolo que atravessa gerações e tem diversos (e sinistros) significados poderia virar uma peça mercadológica?

A comunidade musical ficou alucinada com a tentativa do baixista do Kiss, principalmente porque o cabeludo sempre fez de sua banda um caça níquel, vendendo desde camisinha a cruzeiro e bonequinhos relacionados aos mascarados. E agora mais essa?

Vale ressaltar que Simmons quer patentear exclusivamente o sinal com o polegar esticado, o que significa "amor" na linguagem de sinais. O que os roqueiros e metaleiros comumente usam é com o polegar junto aos dedos centrais.

O baixista pagou US$ 275 para poder usar o chifre para "entretenimento, especificamente, performances ao vivo por um artista musical; característica pessoal por um músico".

A "Variety" falou com o procurador especializado Victor Sapphire para ter mais informações da validade da jogada do músico. "Mesmo que os consumidores não pensem em Simmons particularmente, eles associam o gesto com uma única fonte do entretenimento?", questionou. 

"Enquanto com certeza exista uma rota para o registro da marca, essa questão [levantada acima] pode deixar a marca inaplicável. Isso funcionaria apenas como outro movimento publicitário genial de Simmons, um exercício de vaidade ou um pouco dos dois", acrescentou Sapphire.

Histórico

O símbolo do metal tem registro na música antes de Simmons virar uma estrela do rock, principalmente com John Lennon na capa do single ''Yellow Submarine/Eleanor Rigby", ainda na década de 1960.

O próprio Ronnie James Dio, ex-vocalista das bandas Elf, Rainbow e Black Sabbath, foi um defensor do "chifrinho do metal", e popularizou o símbolo principalmente nos anos ao lado do guitarrista Tony Iommi.

Dio, que morreu em 2010, falou sobre a popularização do gesto em uma entrevista na década de 1990, quando revelou que sua avó costumava esticar o dedo indicar e o mindinho enquanto o polegar segurava os centrais como um sinal de superstição. 

"Eu aprendi que chamava 'mallochio' contra um olho maligno, então [o sinal] era uma forma de nos proteger. Eu inventei? Não, mas o tornei importante? Sim, principalmente quando estava no Sabbath", disse na época.

O cantor ainda previu que um dia o líder do Kiss poderia se apossar do sinal e brincou: "Talvez Gene Simmons diga que ele inventou. Mas também, Gene inventou a respiração e o sapato".

Simmons revelou que sua "inspiração" foi Steve Ditko, criador de "Homem-Aranha" e "Doutor Estranho", da Marvel, que também usam símbolos semelhantes.

O sinal também é associado aos "chifres do diabo" para imitar o focinho de um chacal. O mesmo gesto é usado pela Universidade do Texas, cujo mascote é um boi com grandes chifres. 

Bill Byford, do Saxon, também falou à "Variety" sobre o tema e definiu o símbolo como "a saudação do metal": "[o chifre] perdeu todas as conotações sobre o demônio. É apenas uma grande saudação, não? Estamos todos aqui, todos gostamos da mesma música".

Últimas notícias Ver mais notícias