Mulher é presa após tentativa de invasão à escola de George, diz jornal

Do UOL, em São Paulo

  • AFP

    Príncipe George segura as mãos do pai e da diretora da escola

    Príncipe George segura as mãos do pai e da diretora da escola

O príncipe George (4), que começou a estudar na Thomas's Battersea School, em Londres, teve que voltar à escola nesta quarta-feira (13) para se proteger após uma suspeita de perseguição.

Uma mulher de 40 anos, informou o jornal "Daily Mail", foi presa próxima aos portões da escola após tentar por duas vezes entrar no colégio em vinte e quatro horas.

George precisou ser escoltado para dentro da propriedade, mas sem a companhia do pai, príncipe William, que viajou a um condado no norte da Inglaterra.

Em visita a um hospital, William disse que o filho teve uma "semana muito interessante".

Os professores já estavam em alerta após a mesma mulher ter sido vista aos arredores da escola. Ela acabou fugindo quando foi confrontada por funcionários.

Segundo o jornal, a mulher foi interrogada na delegacia. De acordo com o inquérito, ela foi considerada uma pessoa obcecada e que tem uma fixação pelo casal real. 

A suspeita estava sentada do lado de fora de um restaurante com dois homens, sendo um deles um policial disfarçado, quando a operação policial teve início. 
 
Em todo tempo ela manteve a compostura e não demonstrou resistência às autoridades. 
 
Uma testemunha que presenciou o momento da prisão contou ao "Daily Mail": "Ela estava bem tranquila".
 

Escola proíbe George de ter melhor amigo

O príncipe George não tem permissão para ter um melhor amigo. Algumas das mães de alunos entrevistadas por um programa da TV britânica explicaram que a escola tem como política desencorajar as crianças a se aproximarem exclusivamente de uma outra. 
 
"Eles acreditam que, se o seu filho estiver fazendo uma festa --a menos que cada um dos coleguinhas seja convidado -- não se deve entregar convites na aula".

 

Últimas notícias Ver mais notícias