Como fica a relação entre Harvey Weinstein e o Oscar após casos de assédio?

Do UOL, em São Paulo

  • Al Powers/Invision/AP

    O produtor Harvey Weinstein

    O produtor Harvey Weinstein

O magnata Harvey Weinstein, considerado um "poderoso chefão" de Hollywood, ganhou as notícias desde a última semana após vir a público diversos casos de assédios sexuais e estupros durante mais de 30 anos na indústria. 

O produtor e sua empresa foram responsáveis por grandes obras do cinema que conquistaram diversos prêmios, como "O Paciente Inglês", "Shakespeare Apaixonado", "Chicago", "O Discurso do Rei" e "O Artista".

O próprio Harvey levantou uma estatueta em 1999, quando "Shakespeare Apaixonado" foi premiado como o melhor filme do ano. Mas o que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, a maior e mais importante da sétima arte, pode fazer após tantas notícias sobre o manda-chuva?

A "Variety" escreveu um artigo depois de falar com fontes próximas ao Oscar para saber quais fins podem levar as acusações. A jornalista Tina Brown, uma das jornalistas mais influentes da imprensa internacional, já havia levantado o coro para que a Academia expulsasse Harvey a fim de "honrar as valentes mulheres" que o denunciaram.

A organização do Oscar poderia "retirar" a estatueta que Harvey ganhou com o filme estrelado por Gwyneth Paltrow -- uma das tantas que acusou o produtor de assédio. Por falar no prêmio, muitos consideram que o produtor usou de sua influência para ser colocado juntos com os outros produtores na lista dos vencedores, apenas para garantir sua "parte".

Apesar de não poder "pedir de volta" o objeto dourado, a Academia poderia desconsiderar as nomeações e vitórias de Harvey por "Shakespeare Apaixonado" e "Gangues de Nova York".Isso já foi feito no passado para vencedores que violaram as leis do evento.

Além disso, fontes relatam para a "Variety" que o "chefão" sempre foi um obstáculo para a organização do Oscar. "Eu creditaria a existência de campanhas de regularização [da premiação], em grande parte, para as coisas que ele estava iniciando. Eles definitivamente estavam respondendo por coisas que ele fez", disse uma fonte.

"Eles nunca realmente gostaram dele", decretou outra pessoa entrevistada pelo site.

Por outro lado, alguns nomes que ainda estão batalhando na Justiça por crimes que são acusados, como Bill Cosby e Roman Polanski, seguem com seus prêmios. De acordo com a "Variety", a organização continua com vista grossa com alguns artistas, mas isso pode acabar após o caso Hervey.

Por enquanto, não há nenhuma evidência de que a Academia retire o nome do produtor dos filmes vendedores da maior premiação do cinema. Harvey é integrante do alto escalão da Academia, que está divida com o caso recente.

Nesta quarta-feira (11), a Academia britânica suspendeu Harvey Westein após os relatos de mulheres que foram assediadas por ele. 

Reunião no sábado 

No final da tarde desta quarta, a Academia do Oscar divulgou um comunicado oficial sobre o caso de Harvey Weinstein e confirmou que uma reunião será feita no sábado para discutir sobre o futuro do produtor.

"A Academia acha as condutas descritas nas alegações contra Harvey Weinstein repugnantes, abomináveis e antiéticas para os altos valores que a Academia e a comunidade criativa representam. O Conselho de Governadores [grupo que assegura as estratégias do evento, o cumprimento das missões e a parte financeira da premiação] vai convocar um encontro especial no sábado, 14 de outubro, para discutir as alegações contra Harvey Weinstein e qualquer ação garantida pela Academia".

Últimas notícias Ver mais notícias