Ministério Público abre inquérito para tirar do ar clipe de funkeiro mirim

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Cena do clipe Vem e Brota Aqui na Base, do MC Doguinha

    Cena do clipe Vem e Brota Aqui na Base, do MC Doguinha

O Ministério Público do Rio instaurou um inquérito civil para retirar do YouTube o videoclipe de "Vem e Brota Aqui na Base", do funkeiro mirim MC Doguinha, que tem 12 anos. A informação foi publicada nesta quarta (8) pelo jornal "O Globo" e confirmada ao UOL pelo órgão.

O vídeo, que tem mais 12 milhões de visualizações, mostra o garoto cantando em frente a uma mansão, ao lado de um carro de luxo e em uma piscina, onde ele sensualiza com uma adolescente. A letra traz os versos "A novinha linda, que mora aqui do lado/Ta cheia de papim no whatsapp/Bumbum gostosão, corpo sedutor/Foi por isso que o doguinha se encantou/Vem e brota aqui na base/Vamos fazer sacanagem/Sei que você tem vontade/Então senta um pouquinho".

"Após análise do vídeo, verificou-se que as imagens mostram um adolescente, de 12 anos de idade, conhecido como MC Doguinha, fazendo apologia a práticas erótico-sexuais", afirma o Ministério Público em nota. "A conduta vulnera os princípios da proteção integral da criança e do adolescente e da finalidade social da internet."

Segundo o Ministério Público, os promotores notificaram o Google e a produtora Legenda Funk, responsável pelo clipe, que foi postado no dia 25 de outubro deste ano. Eles têm até 30 dias para tirar do ar o vídeo. Uma cópia do ofício também foi remetida às promotorias de Infância e Juventude de Duque de Caxias, onde mora o funkeiro, "para que adotem medidas cabíveis visando à proteção individual do menor".

Procurados pelo UOL, a produtora Legenda Funk, Google e representantes de MC Doguinha não responderam os pedidos de entrevista até o momento da publicação desta reportagem.

"Vem e Brota Aqui na Base" foi lançada originalmente pela produtora Legenda Funk em junho deste ano em uma versão alternativa, trazendo um vocal feminino no meio da música que versa: "Gosto muito de orgia/O que eu quero sempre fiz/Tô fora de casamento/Quero gozar e ser feliz/Casamento é o c (*)/ P (*) que é legal/Meto de dia, de tarde e de noite/Eu sento no p (*)"

Crianças "proibidonas" na mira

A divulgação da música de Doguinha recebeu críticas nas redes sociais durante as últimas semanas por associar conteúdo erótico a crianças. Esta não é a primeira vez que um funkeiro mirim do gênero proibidão, estilo que conta com nomes como os MCs Pikachu, Pedrinho e Brinquedo, tem problemas com a Justiça. Em 2015, o Ministério Público conseguiu uma liminar que proibiu MC Pedrinho, na época com 13 anos, de fazer shows. A Vara da Infância e da Juventude ainda obrigou os produtores a retirar o conteúdo da criança da internet.

Atualmente, o MPSP investiga o conteúdo erótico e apelos sexuais em músicas e coreografias de várias crianças e adolescentes que cantam funk, incluindo os MCs Melody, Brinquedo, Pikachu, Bin Laden, 2k e Princesa e Plebeia.

Últimas notícias Ver mais notícias