"Não me sentia à vontade na academia e perdi 28 kg treinando com um app"

Thamires Andrade
Do VivaBem, em São Paulo

  • Arquivo Pessoal

Edilson Andrade, de 40 anos, nunca gostou de fazer exercícios. Porém, quando a balança marcou 100 kg, ele sentiu que precisava começar a malhar. Veja como o engenheiro de software entrou em forma em oito meses:

"Como sempre trabalhei na rua e andava bastante, fui magro até os 21 anos, mesmo sem treinar. Só que, quando me tornei analista de sistemas e passei a ficar muito tempo sentado, comecei a engordar. Ainda mais porque passei a ganhar bem, o que me permitiu comer e beber tudo o que tinha vontade.

Arquivo Pessoal
Depois que casei, engordei ainda mais. Era só churrasco e almoço com a família. A balança apontou 100 kg. Era fumante e estava com obesidade grau 1. Mesmo assim, não me preocupava muito com a saúde, pois minha filha estava doente e toda minha atenção era para ela.

Foram dez meses indo em diferente médicos para tentar encontrar o problema da minha filha. Inconscientemente, eu descontava a preocupação com ela na alimentação. Sempre fui muito compulsivo e não conseguia me controlar, comia doces sem limites. Se minha mulher não brecasse, acabava com um pacote de bolacha sozinho.

Um médico finalmente descobriu que minha filha tinha epilepsia benigna atípica da infância. Ela começou a se tratar e ficou ótima. Mudamos para São Paulo e foi então que percebi o quanto eu estava acima do peso. Se continuasse assim, não viveria por muito tempo.

Após pesquisar na internet sobre métodos e dietas para emagrecer, encontrei o vídeo de um homem que transformou seu corpo com ajuda de aplicativo de celular. No início, ele estava fisicamente muito parecido comigo e conseguiu um físico ótimo. Aquilo me impressionou.

Não acreditava muito em aplicativos. Mas, quando tentava ir para a academia, o ambiente lotado e cheio de equipamentos não me animava. Fechava plano de um ano e não treinava nem seis meses. Nada ali na academia era capaz de me manter motivado.

Por isso, resolvi dar uma chance ao digital.

Em fevereiro de 2017, aderi ao Freeletics e busquei uma nutricionista para me auxiliar nos cardápios. Os resultados vieram rapidamente. Na primeira semana, perdi 5 kg. Em dois meses já tinha eliminado 17 kg. Esses resultados me empolgaram e me deixaram mais motivados.

A primeira coisa que eu venci para começar a emagrecer foi a mente, que sempre nos sabota. Lutei contra isso. Nunca gostei de salada, tomate, pepino, brócolis e couve-flor, e hoje tenho prazer de comer essas coisas. Tudo por que coloquei na cabeça que precisava. Pensava nas minhas filhas e no quanto queria viver mais para ficar com elas.

Arquivo Pessoal
Troquei arroz branco pelo integral, sem contar que caprichava nas saladas com frango em vez de me encher de alimentos gordurosos. Passei a comer de três em três horas e deixei os doces de lado. Hoje, estou mais tranquilo quanto a isso. Se vou em uma festa, até como, mas não é mais minha rotina.

O que eu mais gostei de treinar com aplicativo foi poder fazer exercícios em qualquer lugar. Usava muito a sala de casa, no começo. Os treinos variam de 10 a 45 minutos e são sempre bem puxados, ainda mais no início, quando temos pouco condicionamento físico. Por usar inteligência artificial, o aplicativo pede feedbacks de avaliação dos treinos para prescrever os próximos. Sem contar que há vários vídeos disponíveis, com ângulos diferentes, de todos os exercícios. Tudo para ensinar direito a postura.

Em oito meses, emagreci 28 kg e minha vida mudou. Tenho mais disposição para brincar com as minhas filhas e levá-las para andar de bicicleta. Sem contar que ganhei autoestima e me tornei uma pessoa mais positiva, o que me ajudou até a conseguir um emprego melhor. Vou fazer 41 anos e estou na minha melhor forma. Não tinha um corpo desse nem na adolescência."

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy

Últimas notícias Ver mais notícias