Mulher acusa homem de se masturbar em voo e reclama de omissão da Avianca

Amanda Serra e Denise de Almeida
Da Universa

No último domingo (11), um voo com cerca de 1h de duração foi palco de uma situação constrangedora para a mineira Vitória Antunes, 21. Dentro de um avião da companhia Avianca, ela foi surpreendida por um outro passageiro que sentou ao seu lado e passou a se masturbar. Segundo ela, o desconhecido gemia enquanto manipulava o pênis por cima da calça com movimentos repetitivos.

Vitória estava dentro do voo 6145, que partiu de Belo Horizonte (MG) com destino a Guarulhos (SP), às 6h30 da manhã. Ao embarcar, a jovem estava sozinha na fileira de três lugares, mas o assediador levantou de seu lugar original para ocupar uma das duas poltronas disponíveis ao lado dela.

"O cara esperou as portas do avião fecharem para ver que ninguém sentaria do meu lado, trocou de lugar e começou a alisar o pênis dele. Desde o momento que ele sentou estava bem inquieto, se mexendo, tentado baixar a poltrona. E quando ele começou a mexer na calça, desacreditei que ele estava se masturbando por cima da calça e comecei a filmar, pois sabia que ninguém iria acreditar se eu só xingasse ele", relata a jovem, que gritou assim que o agressor gemeu ao se lado.

Indignada e extremamente incomodada com a situação, Vitória tentou parar o homem, chamando-lhe a atenção, aos gritos. "Você acha que está na sua casa?", questionou, enquanto tentava pedir ajuda aos comissários de bordo.

Você quer trocar de lugar?

Neste momento, um comissário apareceu e sugeriu que ela trocasse de lugar. "Avisei que não trocaria, pois tinha pagado para sentar naquele local e exigi que o agressor fosse retirado de perto de mim. Na hora que falei mais alto, o cara, que aparentava ter uns 50 anos, voltou rapidamente para o lugar dele, mas ninguém fez nada".

"Ainda ouvi gente que estava lá na frente me chamando de louca. O comissário disse que, se eu quisesse, eu que deveria trocar de lugar e me afastar, mas me recusei pois não era eu a culpada", disse Vitória em entrevista à Universa.

Para provar que o ato libidinoso estava acontecendo, a cabeleireira decidiu filmar parte da cena e postou os vídeos e a publicação viralizou. Vitória afirma que o material foi denunciado e retirado do ar momentaneamente no Facebook, mas ela publicou novamente as imagens. 

A jovem conta que procurou mostrar as imagens aos comissários do voo e até ao comandante, mas nenhum deles se interessou em assistir aos vídeos nem repreendeu a atitude do outro passageiro. Assim que a aeronave pousou, a mineira esperou o agressor sair do banheiro, para onde ele havia corrido. 

"O cara saiu e ficou conversando com os comissários, um homem e uma mulher, como se nada tivesse acontecido. Em nenhum momento ele se mostrou constrangido. Questionei o comandante se ele sabia o que tinha acontecido e ele disse: 'sim'. Perguntei se ele tinha algo para me falar e ele afirmou que não, pois não tinha visto o ocorrido. Avisei que tinha a gravação, mas ele não quis ver. No entanto, mostrei mesmo assim e questionei: 'e se fosse uma criança, ou uma garota tímida, que não sabe se defender? O que teria acontecido? O piloto ouviu, arregalou o olho, mas não fez nada, não falou nada. O agressor foi embora sem nenhuma punição", afirmou Vitória à reportagem.

Já no aeroporto de Guarulhos, Vitória se dirigiu até o guichê da Avianca para cobrar uma atitude da empresa. Ela conta que um supervisor chamado Marcelo pediu desculpas e afirmou que a equipe da aeronave poderia ter chamado a polícia e o agressor poderia ter saído algemado do local. A tripulação, no entanto, optou por não fazer isso e apenas disse que apuraria o caso. "Ninguém entrou em contato comigo até agora, mas ficam encaminhando notinhas (à imprensa) para limpar a barra deles", contou, na tarde desta segunda à Universa. A cabeleireira disse que registraria um Boletim de Ocorrência ainda hoje.  

Vitória diz ainda que já está em contato com advogados e pretende processar a companhia aérea assim que retornar para Minas Gerais, na próxima quarta-feira (14).

Outro lado

Procurada pela reportagem, a Avianca enviou um comunicado oficial, dizendo que "está investigando internamente o ocorrido e tomará as medidas cabíveis". O texto ainda afirma que "a companhia reforça que repudia veementemente todo tipo de comportamento inadequado de qualquer indivíduo que voe com a empresa".

Últimas notícias Ver mais notícias