Lu Gimenez compara Jagger a Neymar e diz que "bullying já passou do ponto"

Gilvan Marques
Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Twitter

    Luciana Gimenez

    Luciana Gimenez

Luciana Gimenez roubou a cena ao comentar os jogos da Copa do Mundo e defender Mick Jagger da fama de "pé-frio".

Em entrevista ao UOL, nesta quinta-feira (12), a apresentadora da RedeTV! disse considerar "bullying" as brincadeiras com o pai de seu filho mais velho e traçou uma comparação com as críticas de "cai-cai" recebidas por Neymar.

"Bullying é isso: quando a pessoa não está se divertindo e a brincadeira continua. A gente não pode falar sobre transexuais, não pode falar sobre gays, sobre negros. E está certíssimo. Agora também não pode fazer com a pessoa que tem uma imagem limpa", reclamou.

Reprodução/Instagram
Luciana Gimenez, Lucas e Mick Jagger
"Assim como é errado o bullying que fizeram com o Neymar. Você precisa se colocar no lugar do outro. A brincadeira passou do ponto. E o caso do Mick, ele é pai do meu filho. Não tem mais graça. Não é porque é o Mick Jagger que temos que sacaneá-lo. Ele tem filho, tem família, tem mulher. Dizem que 'ah é porque é rico pode fazer isso'. Não, isso é preconceito. Eu o defendo sempre."

A presença de Mick Jagger na partida entre Brasil e Bélgica foi notada e Galvão Bueno não deixou barato: "Para quem será que ele está torcendo?"

"Para que fazer isso? O Mick estava curtindo o jogo, com o filho brasileiro dele. Se não tem nada para falar, não fala. Isso se chama responsabilidade social. Não acho certo fazer isso. Estou assistindo a Globo e o cara fala: 'Ah, Mick Jagger é pé frio'. Que pé frio, cara? Pé frio sou eu que estou assistindo e tendo que aguentar o Galvão no estádio. Fiquei muito brava."

A fama persegue Jagger desde a Copa 2010, na África do Sul. Tudo começou na partida entre Gana e Estados Unidos, quando ele estava no estádio torcendo pelos americanos, que acabaram eliminados. Depois disso, Jagger testemunhou a queda do Brasil em três mundiais: na África, no Mineirão, em 2014, e agora na Rússia. Ele ainda viu a Inglaterra ser derrotada em 2010, na Eurocopa, em 2016, e na última terça, contra a Croácia. Argentina e Portugal também seriam "vítimas" dele.

Neymar

Comentarista voraz da competição, pelo Twitter, Luciana lamentou a eliminação da seleção brasileira, mas avalia positivamente todos os jogadores.

"Não posso julgar a seleção porque, primeiro, eu não conseguiria fazer nem a metade do que fizeram. O Neymar é um grande jogador. E ele deve ter feito o melhor dele. Todos deram o melhor e o Brasil não ganhou a Copa porque, realmente, não foi bem", analisa.

E qual o palpite para a final entre França e Croácia? "Acho que a Croácia leva o título. Os franceses são muito 'raçudos', mas a Croácia nunca ganhou. E, por isso, eu acho que eles virão com tudo."

Carl Recine/Reuters Buda Mendes/Getty Images Montagem/UOL
Lu Gimenez elegeu o goleiro Jordan Pickford (à esquerda), e Alisson (à direita), como os mais gatos da Copa

Goleiro gato

Além de torcer, reclamar e xingar o juiz, Gimenez diverte os seguidores com elogios aos jogadores.

O goleiro Jordan Pickford é o mais gato da competição, em sua opinião. "O goleiro brasileiro Alisson é lindo, vamos falar?! Com todo respeito à esposa dele. Mas o goleiro inglês [Jordan Pickford] é uma coisa." Ela se separou há cerca de quatro meses de Marcelo de Carvalho.

Questionada se toparia ser comentarista para valer, ela é rápida: "Claro que eu toparia ser comentarista da Copa. Eu falo muita besteira. Pena que a gente não fez esse ano, né?"

Últimas notícias Ver mais notícias