"Histórias de terror" de partos incentivam o medo de ter filhos, diz estudo

Da Universa

  • Getty Images/iStockphoto

As redes sociais são plataformas que estão sendo cada vez mais usadas por pessoas para dividirem seus relatos e histórias pessoais; incluindo mães, que usufruem desse meio para compartilhar suas experiências com outras mulheres que planejam ter filhos.

No entanto, segundo a Nordic Federation of Obstetrics and Gynecology (Federação Nórdica de Obstetrícia e Ginecologia), uma condição chamada "tocofobia" está vendo seu número de incidência aumentar com o uso das redes, afetando 14% das mulheres no mundo.

Veja também

O aumento do medo da gestação e parto teria como origem as "histórias de horror" compartilhadas virtualmente. Catriona Jones, pesquisadora da Universidade de Hull, chama esse fenômeno de "tsunami de histórias de terror".

"Se você visita fóruns online, mulheres estão dividindo suas histórias sobre o parto – 'é terrível' ou 'um rio de sangue'. Isso pode ser algo difícil para se lidar", disse ela ao "The Independent".

Esse argumento é desqualificado por Justine Roberts, fundadora e CEO do fórum online "Mumsnet", que reforça a importância de dividir essas histórias.

"Em primeiro lugar, a força delas para contar a verdade de suas experiências não é a mesma coisa de criar falso alarde. Muitas mulheres usam o fórum para falar como encontraram confiança e positividade ao ler histórias como essas (...) Poder falar honestamente sobre isso é uma parte importante da recuperação. Precisamos poder falar sobre parto, sendo de forma boa ou ruim", assegurou.

Últimas notícias Ver mais notícias