Treino e dieta são eficientes para emagrecer? Qual é a fórmula do sucesso?

Renata Turbiani
Colaboração para o VivaBem UOL

  • iStock

    Somente 16% das pessoas não respondem bem a um plano de emagrecimento que combina dieta e exercício

    Somente 16% das pessoas não respondem bem a um plano de emagrecimento que combina dieta e exercício

A fórmula "dieta + atividade física" provavelmente é a mais usada por quem quer perder peso. Mas volta e meia vemos pessoas discutindo se a combinação realmente é eficaz. A dúvida faz sentido, afinal, muita gente que tenta emagrecer desse jeito --mesmo que poucos quilos -- não obtêm sucesso. 

De acordo com Durval Ribas Filho, médico e presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), a respostas é sim. "Pela Curva de Gauss (ou distribuição normal), que expressa os fenômenos biológicos inseridos dentro de um contexto estatístico, 16% das pessoas respondem maravilhosamente bem a exercício e dieta, 16% respondem muito mal e 68%, razoavelmente bem. Então, se considerarmos que 84% têm ótimo ou bom resultado, podemos dizer que essa combinação é mesmo eficiente", afirma.

E essa eficiência toda tem explicação: é que para emagrecer, grosso modo, seu corpo precisa gastar mais calorias do que você consome, o que é possível conseguir ao praticar exercícios e manter a alimentação controlada. Ribas Filho acrescenta que esse balanço energético negativo ainda se destaca por promover uma melhora geral na saúde. "Ele é a condição básica para aumentar a longevidade e evitar, controlar ou adiar o aparecimento de doenças crônico-degenerativas, como diabetes, hipertensão e Alzheimer", relata.

VEJA TAMBÉM:

Cerque-se de bons profissionais

O sobrepeso é um problema multifatorial e o sucesso na perda de peso não vem de uma hora para outra. Ele só é atingido com paciência, persistência e foco. Buscar ajuda médica, em especial de um endocrinologista --para checar se está tudo em ordem com a parte hormonal --, e de profissionais das áreas de educação física, nutrição e psicologia é um ponto essencial. 

"Nem todos que iniciam esse processo por conta própria o fazem da maneira certa, e aí acabam inseguros, angustiados e sem resultados. O ideal é ser bem supervisionado nos diversos aspectos", indica Luna Azevedo, nutricionista da Clínica Nutrindo Ideais.

iStock
Ter uma dieta equilibrada e repleta de produtos naturais é essencial para emagrecer

Mais: para que o ponteiro da balança desça, é fundamental que sua vida esteja equilibrada e o estresse, controlado. Claro que conseguir tudo isso não é tarefa fácil, porém, como o auxílio de um psicólogo ou psiquiatra, é possível. "As pessoas tendem a focar só no corpo e se esquecem do emocional. O problema é que quando não há uma estabilidade, a perda de peso se torna mais complicada", analisa Azevedo. 

Maria Edna de Melo, presidente do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem), concorda: "É realmente importante ter todas essas orientações. E, junto com elas, deve-se fugir das propostas mirabolantes --sabemos que existem muitas por aí -- e ter metas realistas. Para emagrecer com saúde é necessária uma mudança comportamental para a vida toda, e não apenas momentânea."

Poucas calorias e atividade física intensa

A quantidade de calorias que devemos ingerir por dia para alcançar o chamado balanço calórico negativo é algo muito individual. No entanto, os especialistas dizem que esse número geralmente fica entre 1.200 e 1.500 --obviamente, proveniente de alimentos saudáveis e naturais: verduras, legumes, frutas, grãos integrais e carnes magras. Como falamos, um nutricionista é a melhor pessoa para definir os ingredientes e quantidades do seu cardápio, além do número de refeições por dia.

No quesito treino, estudos mostram que é importante mesclar exercícios aeróbicos intensos e musculação. Isso porque atividades como corrida e bike proporcionam grande gasto calórico, já o treino de força favorece a manutenção e o aumento da massa muscular --e quanto mais músculos você tem no corpo, maior é seu gasto calórico em repouso, o que vai contribuir para alcançar o gasto energético negativo.

O tempo de atividade varia de pessoa para pessoa, mas geralmente o recomendado é de pelo menos 30 minutos por dia, inclusive aos finais de semana, ou entre 45 e 60 minutos cinco vezes por semana. O tipo de exercício é uma escolha individual. O importante é optar por algo que você goste de fazer, não o que está na moda. Assim, você consegue tornar o treinamento um hábito prazeroso. 

UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube    

Últimas notícias Ver mais notícias