Quantas calorias têm no pãozinho que você come? Compare 7 tipos

Priscila Carvalho
Do VivaBem, em São Paulo

  • Istock

O pão --principalmente o francês -- é um alimento acusado de engordar ou fazer mal à saúde. Mas será que ele é tão ruim assim? Depende! Ele é um dos carboidratos que recarrega as energias mais rápido. Porém, se consumido em excesso, pode provocar ganho de peso e de gordura corporal. Ou seja, moderação e equilíbrio são a chave.

A quantidade ideal deve ser avaliada individualmente. Mas uma boa dica também é evitar substituir grandes refeições, como almoço e jantar, pelo pãozinho, preferindo usá-lo como opção em lanches intermediários. Se a vontade for grande, vale investir nos integrais, que são ricos em fibras. Além disso, varie-o com outras fontes de carboidrato.

E os pães, de modo geral, são muito parecidos. Os ingredientes e composição nutricional acabam sendo semelhantes, por isso você pode escolher mais com base em gosto pessoal do que tabela nutricional. Só é preciso tomar cuidado com os tipos que são muito industrializados e ricos em conservantes. Por isso o UOL VivaBem elaborou uma lista, mostrando as principais características de cada tipo:

Veja também:

Pão francês

Istock

Composto por farinha de trigo (normalmente refinada), água, sal e fermento, ele, no geral, não tem conservantes --ponto positivo para quem deseja fugir dos industrializados. No entanto, por ter farinha branca, que é pobre em nutrientes e apresenta alto índice glicêmico, o recomendado é consumir apenas um por dia. Uma unidade (50 g) possui 140 calorias.

Bisnaguinha

Istock

Apesar de muito consumida pelo público infantil, ela não é a melhor opção já que é um produto industrializado. Ela é composta por farinha de trigo branca (refinada), gordura vegetal, açúcar e ovos, além de conservantes. Pobre em fibras, o melhor é consumir 3 unidades (50 g) no máximo duas vezes por semana, o equivalente a 135 calorias.

Pão de forma branco

Istock

No supermercado há muitas marcas e opções. Ele possui farinha, açúcar, gordura vegetal (que mantém a maciez) e conservantes. O ideal é consumir duas fatias por dia e reservar para o café da manhã ou lanche da tarde. Se você visa saúde ou perda peso, o aconselhado é priorizar os integrais. Duas fatias possuem 50 g, com 125 calorias.

Pão sírio

Istock

Por ter uma textura fina, ele parece ser menos calórico e mais saudável, porém, não se engane! Ele se assemelha muito aos outros pães e possui farinha de trigo, açúcar, sal, fermento e em geral gordura vegetal. Como também é um industrializado, o mais indicado é consumir uma única fatia ao dia. Uma porção de 50 g tem 124 calorias.

Pão italiano

Istock

Usados para comer com massas, fondues e sopas, esse tipo apresenta características semelhantes ao do pão francês. A única diferença é a fermentação que, normalmente, é mais natural e com um sabor diferenciado. Uma fatia possui 30 gramas e 80 calorias --e a porção padrão de 50 g possui 133 calorias.

Ciabatta

Istock

Também faz parte da família dos pães italianos. Possui aspecto alongado e "achatadinho". Com farinha, sal, água, fermento e azeite em sua composição, ele oferece uma digestão melhor. Uma porção de 50 gramas possui 143 calorias.

O que levar em consideração na hora da escolha de um pão?

Base de ingredientes
Se atente à farinha branca. Olhe se há muita farinha refinada, que prejudica o valor nutricional do alimento. Priorize os com farinhas integrais, grãos, uso de sementes e sem adição de conservantes. Para fazer isso, sempre verifique se a farinha integral aparece antes da refinada na lista de ingredientes, isso indica que ela está presente em maior quantidade.

Valor nutricional
Se não conseguir comer o alimento de forma artesanal, tente comprar os industrializados no mercado e veja a melhor opção. O ideal é ler os rótulos e verificar todas as quantidades, buscando sempre o que tiver mais fibras e menos sódio e açúcar.

Fontes: Samantha Rhein, nutricionista, mestre e doutoranda pelo departamento de fisiologia da nutrição em obesidade pela Unifesp e Clarissa Fujiwara, nutricionista da Abeso (Associação Brasileira de Estudos da Obesidade).

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Últimas notícias Ver mais notícias