Mãe de filho de Frota quer processá-lo por "calúnia, injúria, difamação"

Felipe Pinheiro e Marcela Ribeiro
Do UOL, no Rio e São Paulo

  • Reprodução/Facebook

    Samantha Gondim vai processar Alexandre Frota, pai do seu filho

    Samantha Gondim vai processar Alexandre Frota, pai do seu filho

Samantha Gondim, mãe de Mayã, filho de Alexandre Frota, vai processá-lo por calúnia, injúria e difamação nas varas cível e criminal. De acordo com a advogada dela, Juliana Porcaro, diferentemente do que Frota disse, os dois tiveram um relacionamento. Na ocasião, Samantha tinha apenas 16 anos e Frota, 36.

"Muita coisa que ele disse não é verdade. Ele falou que ela era bartender, mas ela tinha 16 anos na época. Da forma que ele colocou, parece que foi só aquela noite, que eles estavam doidões, usando drogas. Ao falar sobre isso publicamente, ele está assumindo que no passado cometeu um crime, já que ela era menor de idade, além de falar do uso de drogas", disse a advogada ao UOL, nesta quinta (11).

O advogado do deputado do PSL, Cleber Teixeira, afirmou que é um direito de Samantha entrar com o processo, mas negou que as acusações sejam verdadeiras.: "Se tinha porte de drogas, ela confessa que os dois estavam drogados. Se não tinha porte de drogas, não há que se falar em injúria e difamação. Uma coisa vai contra a outra". 

Leia também:

Ele também rechaçou que os dois tenham tido um relacionamento e declarou que Frota não sabia sobre a idade de Samantha quando eles ficaram juntos: "Quando vai ter uma relação, você não pede a carteira de identidade da pessoa. A não ser que você tenha ciência que a pessoa é menor de idade". 

"Ela estava trabalhando como bartender numa micareta. Jamais você vai imaginar que uma pessoa que está trabalhando como bartender numa micareta é menor de idade. Ela estava para completar 17 anos. É um direito dela processar, mas ele que pode querer processar o próprio filho que o acusou de querer abortá-lo", afirmou Teixeira.

Atualmente, a personal  trainer Samantha Gondim mora com os filhos na cidade de Antuérpia, na Bélgica.

A polêmica começou na segunda-feira. Após Frota ser eleito deputado federal em São Paulo, Mayã usou o Twitter para criticar o pai.

"Sou filho de um ex-ator pornô e ex-viciado em cocaína, que defende a família, mas queria me abortar. Como ele virou atual deputado federal de São Paulo eu não sei".

Frota não perdeu tempo e publicou um vídeo no Facebook contando detalhes da relação dele com Samantha.

"Não sei se você sabe de tudo, mas quando foi concebido em um quarto de hotel em Brasília, eu e sua mãe, uma bartender na época, que conheci e na mesma noite saiu comigo para uma noitada, já havíamos enchido a cara na festa e resolvemos ir para o hotel. No hotel estávamos bebendo cheirando, fumando e fazendo sexo, ambos bem loucos. Eu e ela, ok?", disse.

"Sei que é difícil para você entender, mas precisamos deixar claro a verdade. E é na loucura que cometemos loucuras. Detalhe: Sempre fui contra o aborto como sou até hoje, e nunca quis abortar você, não sei o que Samantha te falou", completou.

Disputa judicial entre pai e filho

O ex-ator global e de filmes pornôs foi processado pelo filho de 18 anos em agosto do ano passado. Em entrevista ao UOL, Frota falou sobre a disputa judicial. "Eles pediram um dinheiro pra mim e estou discutindo isso na Justiça. O que a Justiça decidir será pago e acabou essa relação financeira", disse, sem falar em valores.

"A conexão entre eu e ele é de pai e filho, mas existe também esse imbróglio judicial", avalia. À época em que Mayã deu entrada no processo, que corre em segredo de Justiça, a causa inicial era de R$ 9.176,24. O advogado do deputado, Cleber Teixeira, informou que o valor atualizado do total da dívida era de R$ 35 mil, mas que R$ 10 mil já foi pago.

O advogado ainda disse duvidar que o ex-ator seja preso porque, segundo ele, seu cliente não fugiu de suas obrigações.

De acordo com Teixeira, Frota realizou um depósito parcelado para o pagamento da dívida do valor total que até então seria de R$ 30 mil, mas Mayã e seu procurador alegaram em um segundo momento que o valor a ser pago deveria ser maior.

"Vamos depositar o valor que é correto, mas cada vez que [Alexandre Frota] vai fazer o depósito ele [Mayã Frota e sua defesa] pede mais dinheiro", afirmou o advogado. "É absurdo pedir a prisão sendo que não se sabe o valor correto da pensão. A cada minuto o advogado [de Mayã] pede um valor diferente", alegou. 

Além do processo executado pelo filho, o deputado do PSL entrou com um pedido de exoneração da pensão em ação que corre na terceira vara de família de Brasília.

Frota alega que não tem mais obrigação de arcar financeiramente com o sustento do filho, que vive na Bélgica com a mãe. "Agora que ele completar 19 anos vai acabar essa situação de pensão. Não vou ter mais essa obrigação. Ele não estuda, trabalha como modelo, é um homem. Minha obrigação será de amá-lo e de ser o pai dele", afirmou.

Procurada pelo UOL, a advogada de Mayã não atendeu à reportagem porque estava em audiência. O filho do deputado também foi procurado, mas não se manifestou até o momento.

Últimas notícias Ver mais notícias