Processo contra presidente da Guatemala por abusos sexuais é arquivado

Da EFE

  • John Moore/Getty Images

O Ministério Público da Guatemala anunciou nesta quinta-feira o arquivamento do processo aberto contra o presidente da Guatemala, Jimmy Morales, por supostos abusos sexuais, devido à falta de elementos e de colaboração das vítimas.

"Na análise do presente caso foi possível determinar que não se conta com os elementos necessários, nem com a colaboração das vítimas que permitam ao Ministério Público judicializar o presente expediente", afirmou o órgão em comunicado.

Veja também

No dia 9 de julho, o Ministério Público recebeu a denúncia do ex-chanceler guatemalteco Edgar Gutiérrez de que o presidente era acusado de ter agredido sexualmente duas mulheres, cujos nomes não foram revelados.

De acordo com a chefe da Procuradoria da Mulher do país, Vilma González, a investigação foi encerrada porque "nenhuma das supostas vítimas foi ao órgão investigador para prestar depoimento".

No comunicado, o MP afirma que depois da análise e atendendo ao princípio de "objetividade e rapidez" estabelecido no artigo 310 do Código Processual Penal, foi concluído que era pertinente "desprezar o presente caso".

No entanto, o órgão esclareceu que o procedimento pode ser reaberto se surgirem novos elementos.

Últimas notícias Ver mais notícias