Susana Vieira luta contra leucemia; saiba mais sobre a doença

Do UOL VivaBem, em São Paulo

  • Mauricio Fidalgo/TV Globo

    Atriz contou que a doença está sob controle

    Atriz contou que a doença está sob controle

A atriz Susana Vieira, de 76 anos, revelou que trata uma leucemia há pelo menos três anos e que a doença está sob controle.

A informação foi divulgada pelo apresentador Léo Dias no "Fofocalizando" e confirmada pelo UOL. "Não é algo de agora. Já tem algum tempo. Está totalmente controlada", informou a assessoria de imprensa da atriz.

Susana submeteu-se a sessões de quimioterapia e conseguiu manter os cabelos. Ela também não abandonou sua rotina de exercícios físicos e trabalhos na Globo.

No período, a atriz apresentou o programa "Vídeo Show" e interpretou Cora na série "Os Dias Eram Assim". "Não existe nenhuma restrição de nada e por isso ela tem seguido a agenda pessoal e profissional normalmente. Ela inclusive está na academia", explicou o estafe da global.

A leucemia é um tipo de câncer que afeta o sangue ou, para ser mais específico, os leucócitos, também chamados de glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do nosso organismo contra infecções. Atualmente, é o 9º tipo de câncer mais comum entre homens e o 11º entre as mulheres no Brasil. É também o tipo mais frequente em crianças e adolescentes.

Sintomas da leucemia

Além de favorecer infecções, o excesso de leucócitos doentes também compromete a produção dos glóbulos vermelhos, o que pode resultar em anemia, e de plaquetas, resultando em hematomas ou sangramentos. Assim, os sintomas mais comuns da leucemia são:

  • Febres de causa não explicada;
  • Infecções;
  • Anemia (palidez, cansaço, fraqueza ou tontura);
  • Sangramentos (por ex: no nariz ou nas gengivas);
  • Manchas roxas ou pontos vermelhos na pele;
  • Dor óssea;
  • Aumento dos gânglios linfáticos, baço e fígado.

Se a doença afetar o Sistema Nervoso Central, podem surgir dores de cabeça, náuseas, vômitos, visão dupla e desorientação.

VEJA TAMBÉM

Causas da leucemia

Ainda não se sabe quais as causas das leucemias, apenas os fatores de risco. De qualquer forma, sabe-se que as mutações que resultam nesse tipo de câncer não são hereditárias, ou seja, elas são adquiridas ao longo da vida. Mas alguns dos fatores de risco abaixo já foram associados a determinados tipos de leucemia:

  • Tabagismo;
  • Exposição à radiação (por ex: radioterapia, raios X);
  • Tratamento prévio com quimioterápicos;
  • Doenças hereditárias como síndrome de Down, síndrome de Bloom, ataxia, telangiectásica, neurofibromatose e anemia de Fanconi;
  • Doenças do sangue, como policitemia vera, trombocitopenia essencial e mielofibrose idiopática;
  • Exposição ao benzeno (solvente encontrado na fumaça do cigarro, na gasolina e largamente utilizado na indústria química).

Leucemia tem cura?

"Cerca de 80% das crianças são curadas com quimioterapia ou transplante de medula óssea. Em adultos este número é menor. No entanto, uma boa parte dos casos é curada com procedimentos intensivos, como o transplante de medula óssea", afirma Nelson Hamerschlak, coordenador de Hematologia do Hospital Israelita Albert Einstein e membro do comitê médico da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale)..

Tratamentos

Para cada tipo de leucemia existem abordagens específicas, mas, em linhas gerais, o objetivo é destruir as células doentes para que a medula óssea volte a produzir células normais, ao mesmo tempo em que as complicações da doença são controladas. Nos últimos anos foram obtidos grandes avanços com a quimioterapia, os transplantes de medula óssea e as terapias-alvo. "Recentemente a terapia com células geneticamente modificadas, imunoterapia e anticorpos bi-específicos acrescentam chances inéditas ao atendimento de pacientes portadores de leucemia", conta Hamerschlak.

Fontes: Nelson Hamerschlak (hematologista/Hospital Israelita Albert Einstein/Abrale) e Sandra Loggetto (onco-hematologista/Abrale); American Cancer Society; Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale); Instituto Oncoguia; Instituto Nacional de Câncer (Inca), consultados em matéria do dia 30/10/18.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Últimas notícias Ver mais notícias