Henrique Barbosa se aproxima ainda mais do recorde mundial nos 100 m peito

Bruno Doro
No Rio de Janeiro

Um passo a mais para a quebra do recorde mundial nos 100 m peito que pertence a Kosuke Kitajima. Henrique Barbosa foi ouro no troféu Maria Lenk neste domingo com 59s03, baixou o tempo que fez nas eliminatórias e encostou ainda mais na marca mundial do japonês (58s91). O brasileiro conseguiu manter o ritmo e se consolidar como o segundo homem mais rápido da história na prova.

No sábado, Henrique havia marcado o tempo de 59s12. A marca deste domingo, no entanto, é a melhor do planeta na temporada, com apenas uma grande seletiva nacional a disputar, nos Estados Unidos. O segundo nesta relação é o japonês Ryo Tateichi, com 59s48.

Henrique admitiu ao final da prova que está cada vez mais perto de superar o tempo de Kitajima. "Estou cada vez mais perto disso, mas nadar de manhã é sempre mais complicado. É uma alegria enorme saber que estou perto disso, porque nunca havia sonhado com essa possibilidade. Agora é um desejo e faltam apenas alguns detalhes no final", comentou.

Eduardo Fisher foi o segundo colocado, mas deixou a vaga escapar, já que não conseguiu superar o tempo de João Luiz Júnior(1m00s40), conquistado ainda nas eliminatórias. No feminino, Tatiana Sakemi conquistou a medalha de ouro com o tempo de 1min08s15.

Índices nos 100 m costas

Gabriel Mangabeira deu sequência à excelente competição que faz no Maria Lenk ao fechar os 100 m costas com o tempo de 53s81, recorde sul-americano que pertencia a Guilherme Guido. O atleta de Niterói se classificou ao Mundial de Roma e também levou vaga no revezamento 4 x 100 m. Guido ficou na segunda posição, com 53s99 e também estará na competição da Itália nos 100 m costas.

No feminino, Fabíola Molina não teve problemas para superar ainda mais o seu recorde sul-americano. Neste domingo, ela nadou a prova em 1min00s51.
Últimas notícias Ver mais notícias