Em jogo com queda de trave, Chapecoense bate o Criciúma e vira líder; Figueirense perde

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Premiere

    Fabio Ferreira, do Criciúma, derruba a trave da partida ao evitar gol do Chapecoense

    Fabio Ferreira, do Criciúma, derruba a trave da partida ao evitar gol do Chapecoense

Em jogo marcado pela queda de uma trave, a Chapecoense voltou à liderança do Campeonato Catarinense. Além de vencer o Criciúma por 1 a 0, em Xanxerê, o time de Gilmar Dal Pozzo foi beneficiado pelo revés do então primeiro colocado Figueirense diante do Metropolitano por 2 a 1, fora de casa.

No entanto, um lance inusitado 'roubou a cena' em Xanxerê. Aos 30min do segundo tempo, por incrível que pareça, a trave caiu. No entanto, a nova trave não estava no tamanho oficial. A diferença era de 4cm. Por isso, decidiu-se colocar um calço para igualar a altura. Após muito impasse, optou-se em arrumar a trave original. A partida ficou paralisada por aproximadamente 40 minutos.

Com a vitória a Chapecoense subiu para nove pontos, mesma pontuação do Metropolitano. O time de Chapecó leva vantagem no critério de saldo de gols. O Figueirense, por outro lado, caiu para o terceiro lugar, com sete pontos. O Criciúma para em cinco pontos.  

O equilíbrio marcou a etapa inicial da partida em Xanxerê. O Criciúma levava pouco perigo. Seu ataque era bem marcado. Zé Carlos, por exemplo, quase não apareceu. Mas a Chapecoense também pouco produziu ofensivamente na etapa inicial. Rodrigo Gral, por exemplo, só chamou atenção ao receber um amarelo.

Mas o atacante da Chapecoense mostrou que tem estrela. Aos 9min do segundo tempo, Gral abriu o placar. 1 a 0. A defesa do Criciúma reclamou muito de um impedimento do atacante rival. O juiz, porém, confirmou o gol. Depois disso, o lance bizarro, quando a trave caiu. Após quase 40 minutos, o jogo foi reiniciado. Mas o resultado não foi alterado. No final, Everton Luiz, do Criciúma, e Fabinho Gaúcho (Chapecoense) foram expulsos.

Figueirense perde e deixa a ponta

O Figueirense dependia apenas de si para se manter em primeiro. Mas não fez um bom primeiro tempo diante do Metropolitano. Criou pouco e foi para o intervalo empatando sem gols. "Erramos muitos passes, temos que corrigir. Time que quer brigar pelo título não pode errar muitos passes", desabafou o zagueiro Thiego.

A expectativa era por uma mudança de postura da equipe de Adilson Batista. No entanto, não teve tempo para saber se a conversa no vestiário surtiria algum resultado. Logo no primeiro minuto, Edmar abriu o placar para o Metropolitano. Logo depois, aos 8min, Andrei ampliou. O Figueirense esboçou uma reação. Aos 15min, Linno tentou afastar cruzamento, mas marcou contra. No entanto, não evitou o revés por 2 a 1.

Últimas notícias Ver mais notícias