Novo preparador fala do desafio de substituir Anderson Paixão na Chape

Daniel Fasolin
Do UOL, em Chapecó

  • Felipe Oliveira/EC Bahia

    Marquinhos, novo preparador físico da Chape, em trabalho pelo Bahia

    Marquinhos, novo preparador físico da Chape, em trabalho pelo Bahia

A temporada de 2017 da Chapecoense será muito intensa; oito torneios e no mínimo 72 jogos estão na agenda do clube. Nestas circunstâncias, o preparo físico e fisiológico dos jogadores é imprescindível.

O encarregado para substituir Anderson Paixão, ídolo do clube, que morreu na tragédia do dia 29 de novembro do ano passado, na Colômbia, é o fisiologista e preparador físico Marcos Cezar, o Marquinhos, que deu entrevista na Arena Condá, nesta quarta-feira (11). Ele comentou sobre a responsabilidade de voltar a Chapecó e como estão os trabalhos até o momento.

"O Anderson [Paixão] fez um trabalho extraordinário aqui, um dos profissionais responsáveis por essa ascensão do clube. Com certeza marcou seu nome no clube e não à toa chegou à seleção brasileira, aumentando nossa responsabilidade", disse. 

E acrescentou: "Nós avaliamos esse grupo de atletas, como eles chegaram. Os trabalhos estão sendo todos integrados, trabalhos muito modernos. Temos trabalhos individuais na academia, porém a maioria dos trabalhos será integrado". 

Na entrevista, o preparador físico comentou sobre o meia-atacante Martinuccio, que sofreu com uma lesão no joelho ano passado e passou por uma artroscopia. "Ele começou os trabalhos com a gente. Por estar no final da transição de recuperação, nosso cuidado é maior. Ele irá, na medida do possível, acompanhar os trabalhos com todo grupo. A parte funcional dele está em ordem e ele deve estar mais em campo esse ano".

Marquinhos ainda se disse grato por ter recebido o convite da Chape. "Em 2015, nós descobrimos que nosso filho nasceu como uma má formação e teve que fazer os procedimentos fora do país. A Chapecoense prestou todas as ajudas possíveis, inclusive financeira", lembrou-se, emocionado. "O clube mora no meu coração", afirmou. 


Últimas notícias Ver mais notícias