Sassá supera problemas disciplinares e vira atacante mais efetivo do Bota

Bernardo Gentile
Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Vitor Silva/SSPress/Botafogo

    Sassá já é o artilheiro do Botafogo mesmo tendo atuado bem menos que o concorrente Roger

    Sassá já é o artilheiro do Botafogo mesmo tendo atuado bem menos que o concorrente Roger

Afastado por problemas disciplinares no início do ano, Sassá se acertou com a diretoria e está novamente focado apenas no desempenho em campo. Desde que voltou a ficar à disposição, o atacante tem ficado na reserva de Roger, entrado durante as partidas e correspondido - a ponto de criar uma 'dor de cabeça' saudável para o treinador. 

Após sair do banco para fazer o gol de empate do Botafogo contra o Barcelona-EQU pela Libertadores, Sassá passou a ter os números a seu favor. São 13 jogos na temporada com cinco gols marcados. O titular Roger tem estatísticas parecida: os mesmos cinco gols, mas com 14 partidas.

A diferença é que Sassá precisou de apenas 443 minutos para atingir essa marca, enquanto Roger acumula 1.042 minutos. O aproveitamento do jovem atacante é de 88,6 minutos a cada gol. Já o experiente jogador precisa de 208,4 minutos para balançar as redes dos adversários.

O técnico Jair Ventura comparou as duas opções que tem para o ataque. Segundo o treinador, eles têm características diferentes. O treinador admite a boa fase de Sassá e comenta que até brincou com o jogador - que teve o segundo filho, Gael, e sequer comemorou para o novo herdeiro.

"Sassá dá mais força, Roger é mais tático, joga para o time. Sassá é o homem da última bola. Estava revoltado que teve chances para fazer gol e não fez. Perguntei porque não comemorou para o Gael e ele disse que estava chateado por perdido gols. Isso mostra o nível de confiança e comprometimento dele", explicou Jair.

O Botafogo, agora, terá uma maratona de jogos pela frente. Neste domingo (23), o time encara o Flamengo na semifinal do Carioca, no Maracanã. Na quarta-feira, é a vez de receber o Sport pelas oitavas de final da Copa do Brasil, no Nilton Santos (Engenhão).

Se passar pelo Flamengo, pegará o vencedor de Fluminense ou Vasco nas finais do Carioca. Antes da possível decisão, porém, outra partida pela Libertadores: Barcelona de Guayaquil-EQU, no dia 2 de maio, também no Engenhão.

Últimas notícias Ver mais notícias