Mistério: Amanda Nunes garante que superluta deve liderar card do UFC 213

Ag. Fight

  • Rey Del Rio/Getty Images

    Amanda Nunes

    Amanda Nunes

De passagem por Las Vegas (EUA) para uma conversa com a imprensa na nova sede do UFC, Amanda Nunes, campeã peso galo (61 kg) do UFC, surpreendeu os jornalistas no final de sua conversa de quase uma hora. Após falar sobre sua preparação para enfrentar Valentina Shevchenko, com quem se desentendeu na última coletiva oficial, a brasileira deixou escapar que algo grande está por vir para o UFC 213.

O evento, marcado para o dia 8 de julho na T-Mobile Arena, em Las Vegas, conta com duas disputas de título até o momento. Além do seu duelo com a atleta do Quirguistão, o show deve receber o embate válido pelo título masculino dos galos entre Cody Garbrandt e TJ Dillashaw. No entanto, uma lesão do campeão, que faz tratamento na Alemanha, pode alterar o cronograma.

"Acho que o main event ainda está aberto. Não acho que vai ser o Cody e o Dillashaw. Acho que vai ser outra pessoa. Eu sei, mas não posso dizer . Se essa luta não acontecer, devo ir para o co-main event. Mas vamos ver, espero que aconteça, quero ver essa luta. A casa estava pegando fogo . Quero ver com certeza", narrou a atleta.

Embalada por três triunfos em 2016 – sobre a própria Valentina, Miesha Tate e Ronda Rousey –, Amanda fez parte de três dos maiores cards da história do UFC, e liderou dois deles. No entanto, a julgar pela movimentação das categorias e pela necessidade de um campeão encabeçar o show, fica a pergunta: quem poderia se preparar a tempo e deixar duas disputas de título como coadjuvantes na mesma noite?

Últimas notícias Ver mais notícias