Ataque de torcedores do Coritiba deixa corintiano desmaiado e ferido

Adriano Wilkson, Brunno Carvalho, Leandro Carneiro e Napoleão de Almeida
Do UOL, em São Paulo

Horas antes do início da partida entre Coritiba e Corinthians, torcedores dos dois times se envolveram em uma briga a pouco metros do estádio Couto Pereira, neste domingo (18), em Curitiba. De acordo com a Polícia Militar e a Polícia Civil do Paraná, seis corintianos ficaram feridos, um deles em estado grave.

A confusão teve início por volta das 8h (de Brasília). Em um vídeo que circula pelas redes sociais, o ônibus da torcida do Corinthians aparece sendo alvo de pedradas. Em determinado momento, um corintiano cai no chão e é cercado por torcedores do Coritiba, que o agridem com chutes e pisões na cabeça. Um dos homens com a camisa do Coritiba tenta afastar os demais, evitando que a agressão se prolongue.

Em outro vídeo, torcedores dos dois times aparecem trocando chutes, socos e pedradas mutualmente.

Em contato com o UOL Esporte, o delegado Clóvis Galvão, da Demafe, uma delegacia móvel montada para atender ocorrências ligadas ao futebol, disse que o torcedor em estado mais grave se chama Jonathan José Gomes da Silva, de 29 anos. Ele é corintiano e está sendo atendido no hospital.
 
No começo da tarde, a corporação informou que prendeu um dos suspeitos da agressão, um homem chamado João Carlos de Paula, de 24 anos. Segundo o delegado, ele confessou o crime. A polícia trabalha para identificar os outros autores da violência.
 
A primeira informação que a polícia teve foi a de que Jonathan da Silva havia morrido, mas depois uma equipe enviada ao hospital constatou que a informação não procedia. "Ele está em estado gravíssimo e estamos trabalhando para apurar os fatos", disse Galvão.
 
As vítimas foram encaminhadas para o Hospital Universitário Evangélico, para o Hospital do Trabalhador e para o Hospital Universitário Cajuru.
 
De acordo com a PM, 34 ônibus da torcida do Corinthians foram escoltados até o estádio, mas esse especificamente teria chegado antes, sem escolta. A corporação diz que depois da ocorrência vai "readequar" o efetivo de policiais envolvidos na partida para garantir a segurança do evento. 

Arquivo pessoal
Ônibus da torcida do Corinthians teve vidraças quebradas na briga

As confusões aconteceram em três ruas de Curitiba: Mauá, 7 de Abril e Amâncio Moro. Essa última é travessa do local em que fica localizada a Império Alviverde, uma das torcidas organizadas do Coritiba.

A briga acabou atrasando a saída do Corinthians para o jogo e, por isso, o clube não participou do protocolo da CBF de entrada no gramado. O hino foi executado apenas para o time do Coritiba.

Cerca de vinte de minutos antes do jogo ainda havia muitos torcedores do Corinthians tentando entrar no estádio.

Por meio do Twitter, o clube se manifestou sobre as cenas de violência. "Infelizmente, a violência e a covardia se tornaram, mais uma vez, os principais assuntos num domingo de futebol", escreveu o Corinthians. "Que os torcedores que sofreram os atos de agressão e covardia se restabeleçam e que os órgãos competentes apurem e punam os responsáveis."

Coritiba e Corinthians se enfrentam neste domingo (18), no Couto Pereira, às 11h (de Brasília), pelo Campeonato Brasileiro.