Justiça determina fiscalização de lista de sócios do Vasco até eleição

Bruno Braz e Pedro Ivo Almeida
Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

    Presidente do Vasco, Eurico Miranda terá que cumprir determinação judicial

    Presidente do Vasco, Eurico Miranda terá que cumprir determinação judicial

A 17ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, através da juíza Renata Gomes Casanova, publicou nesta segunda-feira a determinação para o que Vasco forneça dados sobre a lista de sócios do clube aptos a voto na eleição presidencial que acontecerá em novembro. O objetivo da ação é evitar possíveis fraudes no pleito.

Com a medida, o clube tem até cinco dias para informar a empresa que administra o plano de sócios, apresentar o contrato de prestação de serviço e fazer com que essa empresa informe o fluxo de pagamento dos adimplentes e a data de "plug in" dos sócios a partir de julho de 2016.

Divulgação
Trecho da decisão judicial em relação à lista de sócios do Vasco

No dia da perícia, o acesso destes dados foi impedido com a alegação da terceirização do serviço e suposto contrato de confidencialidade.

Outro ponto de destaque é a preocupação com a comprovação do efetivo pagamento dos sócios (ou seja, se esse dinheiro entrou no Vasco) e se houve inserção de sócios com data retroativa (por exemplo: incluiu depois do prazo, mas botou no sistema uma data anterior).

Quem moveu a ação foi o advogado Renato Cícero Freire de Brito Neto, ligado ao grupo "Sempre Vasco, do candidato Júlio Brant.

Últimas notícias Ver mais notícias