La U dá calote por estragos na Arena; Corinthians avalia providências

Dassler Marques e Diego Salgado
Do UOL, em São Paulo

  • LÉO PINHEIRO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

    Briga entre chilenos e policiais ocorreu na estreia do Corinthians na Sul-Americana

    Briga entre chilenos e policiais ocorreu na estreia do Corinthians na Sul-Americana

Dois meses e meio depois de uma briga entre chilenos e policiais, a Universidad de Chile não cumpriu o acordo verbal com o Corinthians para cobrir os danos causados por seus torcedores em Itaquera. O prejuízo é estimado em R$ 60 mil. A informação foi confirmada pelo diretor financeiro corintiano Emerson Piovesan.

O jogo entre as duas equipes foi disputado na Arena Corinthians no dia 4 de abril, ocasião em que 26 chilenos foram presos pelos danos. Na ocasião, 218 assentos, um vaso sanitário e parte de uma das bilheterias foram danificados.

Inicialmente, o Corinthians imaginava que os chilenos aguardariam o jogo de volta das duas equipes, em maio, para fazer o pagamento. Nada foi quitado desde então, entretanto.

Neste momento, o Corinthians estuda providências no caso, como solicitar auxílio da Conmebol para receber pelos reparos realizados. Por meio de sua assessoria de imprensa, a Universidad de Chile não quis comentar o caso até a publicação da matéria.

O recorde de cadeiras quebradas na Arena Corinthians deu-se em abril de 2015, durante a semifinal do Campeonato Paulista, entre Corinthians e Palmeiras. Naquela oportunidade, 877 assentos foram danificados, todos no setor do visitante. O clube alviverde pagou pelo prejuízo.

Acervo
Cadeiras da Arena Corinthians foram quebradas por torcedores da Universidad de Chile

Últimas notícias Ver mais notícias