Santos descarta assumir Pacaembu em definitivo, mas quer manter aluguel

Samir Carvalho
Do UOL, em Santos (SP)

  • Rubens Cavallari/Folha Imagem/Folhapress

    Santos quer fechar o ano com cerca de 15 jogos como mandante no Pacaembu

    Santos quer fechar o ano com cerca de 15 jogos como mandante no Pacaembu

O Santos descarta assumir o Pacaembu em definitivo para ser a sua "casa" em São Paulo. O UOL Esporte apurou que o clube descarta participar da licitação e, inclusive, não se interessa pelos termos apresentados pelo prefeito João Dória, torcedor santista.

Entretanto, o clube paulista tem muito interesse em continuar alugando o Pacaembu para jogos pontuais do time no Campeonato Brasileiro e até para a Copa Libertadores da América.

O projeto da diretoria santista, inclusive, é terminar a temporada com cerca de 15 jogos disputados no Pacaembu como mandante. Neste ano, o Santos já jogou seis partidas como mandante e uma como visitante [contra o Red Bull]. Em 2016, por exemplo, foram seis jogos no estádio, sendo cinco deles como mandante.

Apesar de não ter saído com os três pontos contra a Ponte Preta no último sábado, com o empate por 0 a 0, a equipe santista segue invicta em tempo normal no estádio desde 2014, quando foi derrotado na final do Paulista, diante do Ituano. A marca é expressiva: foram 20 vitórias consecutivas no Pacaembu antes do empate de sábado.

Além disso, o Santos nunca perdeu no estádio em jogos pela Copa Libertadores. Em onze jogos, foram oito vitórias e três empates. 

Há quem diga no clube que o projeto de triplicar os jogos no Pacaembu se limita a uma estratégia política de Modesto Roma, que concorre à reeleição em dezembro. O mandatário tenta se aproximar do associado em São Paulo para alavancar votos. Em 2014, quando venceu a eleição, ele teve apenas 35 votos dos sócios da capital. Modesto se tornou presidente do Santos com 1321 votos.

Últimas notícias Ver mais notícias