Suspeito de agressão será transferido no PR; dois feridos seguem internados

Bruno Freitas
Do UOL, em São Paulo

Detido no último domingo em Curitiba, suspeito de agredir um torcedor do Corinthians antes da partida contra o Coritiba na capital paranaense, João Carlos de Paula será transferido ainda nesta segunda-feira para uma casa de custódia. Enquanto isso, dois corintianos continuam internados em hospitais da cidade - nenhum em estado grave. 

O torcedor de 24 anos está detido desde domingo na sede da Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (Demafe). Integrante da torcida organizada Império Alviverde, João Carlos de Paula é visto nas imagens pisoteando a cabeça do torcedor do Corinthians, que estava caído no meio da rua. O jovem, que não tinha antecedentes criminais, deverá responder por tentativa de homicídio, que pode dar pena de oito a 20 anos. Segundo o delegado Clóvis Galvão, o suspeito confessou o crime em depoimento.

"Por enquanto, não tem novidades. Estamos esperando a conclusão do inquérito para aí fazer a diligência para identificação de outros indivíduos que participaram dessa agressão. O João Carlos está preso e será encaminhado para custódia", afirmou o delegado, por telefone, ao UOL Esporte.

De acordo com as investigações conduzidas pela Demafe, outros três torcedores do Coritiba que participaram da agressão nas imediações do estádio Couto Pereira já foram identificados. Os investigadores trabalham para localizar esses indivíduos, e mandatos de prisão já foram solicitados.

"São sete. Temos um preso, três identificados. Falta identificar mais três", disse Clóvis Galvão.

Guilherme Moreira/UOL

Dois corintianos seguem internados

Ao todo, sete pessoas foram encaminhadas a hospitais de Curitiba depois da briga entre torcidas de Coritiba e Corinthians na manhã de domingo, nas imediações do estádio Couto Pereira. Jonathan José Gomes Souza da Silva, que chegou a ser dado como morto em uma confusão de informação inicial da polícia paranaense, recebeu alta horas depois do incidente, com escoriações leves.

Apesar das cenas fortes de linchamento por parte de torcedores do Coritiba, Jonathan apareceu sorridente em imagens em uma rede social, ainda no domingo, exibindo alguns curativos.

Dois torcedores feridos ainda seguem internados em Curitiba. Luciano Romano teve uma fratura exposta em uma das pernas e continua no Hospital Universitário Evangélico. Outro corintiano, que não teve a identidade revelada, está no Hospital Universitário Cajuru.

Organizada do Coritiba divulga comunicado

Através das redes sociais, a Império Alviverde divulgou uma nota a respeito da briga com torcedores do Corinthians antes da partida de domingo, válida pelo Campeonato Brasileiro. Os paranaenses alegam que precisaram se defender depois de uma ofensiva dos visitantes. Confira a nota:

"PARA TODA AÇÃO EXISTE UMA REAÇÃO!
A torcida visitante começou a chegar no Couto Pereira por volta das 6:30 am, entre carros e vans, até que 4 ônibus chegaram sem escolta policial (não solicitada de acordo com a PM) e os passageiros ao invés de permanecerem na rua e local a eles destinados, desceram dos ônibus e foram contornando o estádio pela rua Mauá e subindo a rua Amancio Moro a pé em direção a loja oficial da nossa torcida, por vontade própria e não por engano, cientes do risco pois sabiam muito bem onde se encontravam.
Haviam cerca de 50 torcedores do Coritiba no local (loja oficial) como sempre desde cedo organizando a festa e garantindo a segurança, protegendo a nossa casa, o nosso patrimônio! Quando os visitantes chegaram a cerca de 100 metros da loja, provocando e iniciando um ataque, nossos integrantes por segurança fecharam a loja e então houve o conflito na rua entre as torcidas. A torcida do Coritiba, em defesa, mesmo que em menor número, tinha que proteger os seus domínios. E assim o fez, até a chegada do reforço policial, pois as poucas viaturas presentes no local não eram suficientes para conter a confusão. Confusão essa promovida pela torcida visitante, esses, são os principais responsáveis pelo ocorrido e pelos seus próprios torcedores que ficaram feridos, deixados para trás. Consequências do risco assumido.
Para estes e para todos, não desejamos o pior, a ninguém, mas para toda ação existe uma reação, e diante de tais circunstâncias jamais, JAMAIS fugiremos da luta.
"

Polícia responsabiliza corintianos

De acordo com autoridades do governo paranaense envolvidas na apuração do incidente, os torcedores corintianos saíram de São Paulo com a intenção de criar confusão em Curitiba.

Em um vídeo gravado por uma pessoa vizinha do estádio, um torcedor corintiano aparece sendo espancado por vários rivais, mesmo caído no chão. Em outras imagens, torcedores dos dois times se agridem mutuamente em uma rua próxima ao Couto Pereira. O tumulto começou por volta das 8h30.

Os 38 ônibus com a torcida do Corinthians chegaram na capital paranaense e, diferentemente do habitual, uma parte deles não se concentrou na rua do setor de visitantes. Alguns veículos foram estacionados na rua Mauá, e os torcedores desembarcaram na esquina das ruas Mauá e Barão de Guaraúna, principal ponto de encontro da torcida do Coritiba.

Naquele horário, a torcida comum do Coritiba ainda não estava no local, mas cerca de 70 integrantes da Império Alviverde estavam em frente à loja da torcida, na rua de cima, "protegendo o patrimônio", segundo eles. Os corintianos, então, caminharam em direção aos rivais, e o confronto começou. Os homens brigaram na frente da Igreja Perpétuo do Socorro e do Couto Pereira.

"Eles estavam mal-intencionados", afirmou o tenente-coronel Wagner Lucio dos Santos da Polícia Militar em entrevista no fim da tarde. "Fizemos contato com torcidas organizadas do Corinthians antes da partida, como é praxe, e marcamos para encontrá-los às 7h, como aconteceu com o comboio. Mas esse grupo veio mais cedo e eles queriam o enfrentamento com os torcedores adversários". Segundo as autoridades, os torcedores corintianos que se envolveram na briga não eram membros de organizadas.

Na correria, outros três ônibus corintianos passavam no meio da confusão e foram apedrejados por torcedores do Coritiba. Em um deles, um rapaz que estava na porta foi puxado e acabou espancado no chão por um grupo de aproximadamente sete pessoas.

Últimas notícias Ver mais notícias