Traições, divórcio e mansão: como ex-número 1 gastou fortuna de R$ 200 mi

Do UOL, em São Paulo

  • AP Photo/Pavel Golovkin

    Becker ganhou seis Grand Slams, o primeiro aos 17 anos

    Becker ganhou seis Grand Slams, o primeiro aos 17 anos

Boris Becker já foi número 1 do mundo, ganhou seis Grand Slams e em 1999 tinha uma fortuna estimada em mais de 50 milhões euros (aproximadamente R$ 200 milhões). Na última semana, no entanto, teve sua falência declarada. A notícia pode ter causado surpresa, mas para quem acompanha sua vida nos últimos anos não deve ter se assustado muito.

O alemão não era exatamente um "bad boy", mas se envolveu em traições que resultaram num milionário divórcio, gastou outros milhões depois de reconhecer a filha fruto de sua infidelidade e comprou uma mansão avaliada em 15 milhões de euros. Além disso, acumulou dívidas e processos judiciais.

Só com os 49 títulos individuais conquistados em quadra, Becker faturou US$ 25 milhões (cerca de R$ 80 milhões). Mas depois que ele se aposentou, em 1999, as coisas desandaram em sua vida. A primeira grande dificuldade foi o divórcio com Barbara Feltus, em 2000. Ela estava grávida do segundo filho do casal quando descobriu as traições de Becker.

"Traía minha mulher durante sua gravidez e escondi a verdade por muito tempo. Foi o período mais difícil de minha vida. Sem dúvidas, fui um idiota", admitiu ele anos depois.

Uma dessas traições foi com a modelo Angela Ermakova, num rápido encontro na área dos banheiros de um famoso restaurante de Londres. Dessa relação nasceu Anna, a terceira filha de Becker, que ele só reconheceu quando ela tinha dez meses.

"Foram os cinco segundos mais caros da minha vida", disse certa vez o ex-tenista, diante dos quase US$ 4 milhões que, especula-se, foram gastos em todo o processo envolvendo a paternidade. Seis anos depois, Becker conseguiu a guarda compartilhada de Anna, hoje uma modelo de 17 anos que o pai faz questão de exaltar publicamente.

O divórcio da primeira mulher, no entanto, custou US$ 25 milhões a Becker. Suas contas, inclusive, costumavam envolver elevadas quantias. A mansão que ele comprou em Mallorca, na Espanha, por exemplo, foi avaliada em US$ 15 milhões. E o alemão quase a perdeu em processo gerado por dívida contraída com um funcionário local em uma reforma do imóvel.

Outro processo, este de 2002, rendeu uma condenação a dois anos em liberdade condicional e multa de 500 mil euros por evasão fiscal de quase 2 milhões de euros.

Na semana passada, nova dívida fez a Justiça inglesa decretar a falência de Boris Becker. Uma dívida de 6 milhões de euros com um banco acabou com a paciência da juíza do caso, que ignorou o pedido da defesa do ex-jogador de ampliar o prazo de pagamento.

Técnico de Djokovic durante três anos e comentarista de televisão em torneios de tênis, Becker agora precisa reestruturar sua vida financeira. A amorosa vai bem com a holandesa Sharlely Kerssenberg, com quem também teve um filho. Mas ele precisará fazer mais contas.

Últimas notícias Ver mais notícias