Diego Alves é apresentado, fala em títulos no Fla e sonho da Copa do Mundo

Vinicius Castro
Do UOL, no Rio de Janeiro

Diego Alves foi apresentado na noite desta segunda-feira (17) pelo Flamengo. Ex-Valencia, o goleiro chegou ao Rubro-negro para assumir a titularidade da posição e não economizou nos elogios ao clube. A expectativa é a de conquistar títulos e disputar a Copa do Mundo de 2018 pela seleção brasileira.

"Tive opções na Europa, mas a partir do momento em que o Flamengo entrou na situação a conversa ficou clara. Senti honestidade e decidi voltar ao Brasil. É um clube que atrai qualquer jogador pela grandeza e pelo o que representa. É um projeto sério, que já dura anos e parte de uma base importante. Quero participar disso, crescer e conquistar", afirmou.

"A história do clube exige falar em títulos. Tem muito chão pela frente. É importante pensar nisso, pois o objetivo de todos é ter alegrias no final do ano", completou.

Diego Alves chega ao clube da Gávea para resolver o problema da posição. Alex Muralha foi barrado pelas más atuações, enquanto o jovem Thiago ainda precisa de bagagem. Aos 32 anos, o goleiro decidiu voltar ao Brasil para ficar mais próximo do técnico Tite e tentar disputar a Copa do Mundo de 2018.

"Cheguei ao Flamengo pensando no clube. Acredito que a seleção brasileira é um prêmio pelo o que jogador vive no clube. Passei por isso em todos os lugares. Vou trabalhar bastante para também ser convocado com essa camisa", comentou.

O jogador terá um salário de R$ 500 mil, metade do que recebia no exterior. Para contratá-lo até dezembro de 2020, o Flamengo pagou 300 mil euros (R$ 1,1 milhão) parcelados ao Valencia. Vale lembrar que ele não jogará a Copa do Brasil, pois as inscrições estão encerradas. A estreia deve ser contra o Corinthians, dia 30, em São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro.

Sobre a fama de pegador de pênaltis, Diego Alves optou por fugir um pouco do rótulo. "Isso se debate bastante, pois defendo muitos pênaltis. Sempre me perguntaram isso. Mas eu não gosto de pênalti. Estou sempre preparado, mas não gosto. Sou goleiro e preciso ser importante por isso. Me comunicar com os companheiros, parte tática. Sou o goleiro Diego Alves, não o pegador de pênaltis".

Últimas notícias Ver mais notícias