Quem é a nova geração francesa que promete bombar na Champions e na Copa?

Do UOL, em São Paulo

  • GONZALO FUENTES/REUTERS

    Kylian Mbappé e Thomas Lemar jogam juntos na seleção da França

    Kylian Mbappé e Thomas Lemar jogam juntos na seleção da França

A última janela de transferências do mercado europeu foi marcada pelo interesse por jovens jogadores da França. Um dos grandes exemplos é Kylian Mbappé, que conquistou a Europa e se tornou algo dos grandes clubes do velho continente.

Na seleção da França é cada vez mais comum ver nomes com menos de 24 anos de idade nas listas de convocação do técnico Didier Deschamps para jogos amistosos ou das Eliminatórias para a próxima Copa do Mundo da Rússia de 2018.

Essa nova geração promete agitar os campeonatos nacionais europeus, a Liga dos Campeões e até o Mundial da Rússia no ano que vem. Deschamps pode uní-los com os já consolidados como Antoine Griezman e Paul Pogba. 

Kylian Mbappé (Paris Saint-Germain)

Gonzalo Fuentes/Reuters
No último dia da janela de transferências europeia Kylian Mbappé se tornou uma das contratações mais caras do mundo atrás de Neymar. O PSG ganhou a briga e acertou por empréstimo com a joia e daqui um ano, no entanto, segundo o jornal francês "L'Equipe", o time da capital da França pagará nada menos que 180 milhões de euros (R$ 678 milhões) para ficar com o jogador. E ele já mostrou para o que veio e na abertura da fase de grupos da Liga dos Campeões marcou na vitória do PSG por 5 a 0 sobre o Celtic, na última terça-feira.

Foram 26 gols em 44 jogos na última temporada pelo Monaco e o jovem de 18 anos de idade ficou em evidência na imprensa mundial, tornando-se mira dos principais clubes da Europa por ter sido protagonista na campanha do time do Principado na Liga dos Campeões 2016/17, quando o clube chegou à semifinal da competição continental. O atacante também foi um dos destaques da na conquista do título do Campeonato Francês e ganhou sua primeira convocação para a seleção principal da França neste ano de 2017, mas já atuou nas categorias de base desde 2014.

Ousmane Dembelé (Barcelona)

Andreu Dalmau/EFE
Aos 20 anos, Ousmane Dembelé chega ao Barcelona para substituir ninguém menos que Neymar. O jovem atacante foi um dos maiores destaques na última temporada e se tornou o reforço mais caro da história da agremiação azul-grená (105 milhões de euros mais variáveis). O teve sua primeira oportunidade no time titular de Ernesto Valverde na última terça-feira na vitória sobre a Juventus pela partida de abertura da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa.

Na temporada 2015/2016, ele marcou 12 gols em 27 jogos com a camisa do Rennes foi transferido ao Borussia Dortmund. Na equipe da Alemanha, então, encaixou-se perfeitamente ao lado de Aubameyang e ganhou o respeito dos colegas de time e treinador (o time era então comandado por Thomas Tuchel) mesmo com a pouca idade. No ano de 2016, Dembelé teve sua primeira convocação na equipe principal da seleção francesa, e já fez aparições nas categorias de base da França desde 2013.

Tiemoué Bakayoko (Chelsea)

Kirsty Wigglesworth/AP
Com 22 anos de idade, Tiemoué Bakayoko é a outra promessa da França. O jogador de 1,84m foi um dos destaques da campanha do Monaco na temporada passada do futebol europeu. Ele disputou 51 partidas pela agremiação vermelha e branca na campanha 2016/2017 (44 como titular). Além disso, anotou três gols e chamou atenção pelo estilo de imposição física. As comparações mais frequentes são com o compatriota Paul Pogba e com o marfinense Yaya Touré.

O Chelsea se interessou no perfil do meio-campista e acertou a contratação por 40 milhões de euros (cerca de R$ 150 milhões), de acordo com o site "Tranfermarket". E na última terça-feira, Bakayoko marcou seu primeiro gol na vitória por 6 a 0 sobre o Qarabag na rodada de abertura da Liga dos Campeões. Na seleção francesa, ele foi convocado pela primeira vez à equipe principal em 2016, mas já faz aparições na base desde 2010.

Benjamin Mendy (Manchester City)

Manchester City/oficial
Benjamin Mendy é mais um da nova geração francesa. O lateral esquerdo foi revelado pelo Le Havre, passou pelo Olympique de Marselha e se destacou no Monaco na última temporada. Com a titularidade absoluta, ele ficou no banco de reservas do time do Principado em apenas uma oportunidade e despertou o interesse de Pep Guardiola que tratou de levar o atleta de 23 anos de idade para o Manchester City por 57, 5 milhões de euros (R$ 215 milhões).

O atleta foi convocado pela equipe principal da França pela primeira vez no ano de 2017, mas já jogou pelas categorias de base de sua seleção desde 2009.

Thomas Lemar (Monaco)

REUTERS/Eric Gaillard
O jogador, de apenas 21 anos, foi um dos destaques do Monaco na temporada. Apesar da pouca idade, mostrou potencial e foi muito utilizado pelo técnico Leonardo Jardim. Foram 55 partidas e 14 gols marcados. Convocado para a seleção francesa em 2016, Lemar despertou o interesse de outras potências do continente, como Chelsea, Bayern de Munique e Atlético de Madri. Mas o time do Principado preferiu segurar uma de suas promessas e chegou a recusar uma proposta de 35 milhões de euros (R$ 131,7 milhões) do Arsenal. O ponta-esquerda atuou também pelas categorias de base de sua seleção nacional desde 2011.

Samuel Umtiti (Barcelona)

LLUIS GENE/AFP
Samuel Umtiti chegou ao Barcelona em 2016 após se destacar no Lyon. O zagueiro de 23 anos de idade foi revelado nas categorias de base da equipe francesa e chegou ao time profissional na temporada de 2011/12, na qual disputou 170 partidas e marcou cinco gols. Convocado para disputar a Eurocopa de 2016 pela seleção da França, o beque se destacou e conquistou espaço durante toda a competição.

Assim como seus compatriotas, Umititi também já atuou pela seleção nacional antes de chegar ao time principal, jogando nas categorias de base desde 2010.

Djibril Sidibé (Monaco)

Romain Perrocheau/AFP
Aos 24 anos de idade, Djibril Sidibéfez parte da campanha que rendeu ao Monaco o título do Campeonato Francês na última temporada. Em 2016/2017, o defensor realizou 47 partidas, sendo titular em 42 delas, e marcou três gols. Com isso, o jovem entrou na mira do Barcelona, mas o time do Principado preferiu manter o atleta e acertou a renovação até o ano de 2022.

Sidibé foi convocado pela seleção da França pela primeira vez em 2016, mas também atuou nas categorias de base desde 2011.

Últimas notícias Ver mais notícias