Interino do Inter dedica acesso a antecessores: "Todos foram importantes"

Do UOL, em Porto Alegre

  • VINíCIUS COSTA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

     Odair Hellmann comandou o Internacional contra o Oeste nesta terça-feira

    Odair Hellmann comandou o Internacional contra o Oeste nesta terça-feira

Odair Hellmann comandou o Inter no empate em 0 a 0 com Oeste nesta terça-feira (14). E o ponto conquistado, simbolizou acesso à Série A. Depois do jogo, o treinador interino dedicou o acesso aos antecessores e não mostrou nutrir esperança de ser efetivado.

"Em primeiro lugar eu gostaria de lembrar o Guto, o treinador esteve aqui até anteontem conosco e por coisas do futebol aconteceu de sair. Quero dedicar o acesso a ele. Vou começar pelo Antonio Carlos, o Pacheco, o Galeano que estiveram conosco. Foram excepcionais e contribuíram. A maior parte com o Guto, que tivemos uma sequência de vitórias importantes, que nos deixou a um empate de subir. O Andre Luiz, Juninho, Alexandre, toda gratidão, respeito e admiração a eles", afirmou Odair.

O Inter abriu sete pontos do quinto colocado com seis em disputa na Série B. Ou seja, está matematicamente de volta à elite do futebol. Porém, não deve ser campeão. O América-MG bateu o Juventude e abriu quatro pontos. Pode conquistar, vencendo na próxima rodada, a competição.

Odair assumiu o Inter pela segunda vez no ano. Depois da demissão de Antonio Carlos, ele esteve no comando na vitória por 2 a 1 sobre o Palmeiras. Agora, além do empate em 0 a 0 nesta terça terá comando nos dois próximos jogos. Mas não nutre expectativa de ser efetivado no cargo.

"Claro que eu gostaria. Isso seria uma honra e um orgulho muito grande. Mas vamos com calma, subir degrau a degrau com tranquilidade. Sou funcionário do Inter, auxiliar técnico da comissão permanente. Participo do dia a dia, colaboro com todas as comissões técnicas. Estou pronto para carregar um cone, botar uma trave e também sentar para definir parte tática com o treinador se ele me der esta liberdade. Com respeito a ele, mas se me der esta liberdade, nós participamos, divergimos, opinamos. E a partir do momento que deixamos a sala, somos todos o Inter. Sempre com respeito ao profissional que estiver aqui. Mas individualmente falando como carreira, farei os dois jogos finais e espero seguir como auxiliar técnico. Adquiro conhecimento, em dezembro vou para França fazer um estádio no PSG, ver treinamentos, volto de lá e usarei minhas férias para fazer um curso A na CBF. Então, é ganhar conhecimento, me tornar um profissional preparado e um dia vai chegar minha hora. Talvez aqui, talvez fora. Mas agora é auxiliar técnico ajudando quem chegar", reconheceu.

O Inter encara Goiás e Guarani até o fim da Série B.
 

Últimas notícias Ver mais notícias