Palmeiras recusa proposta reduzida da Globo por BR e até Crefisa intercede

Danilo Lavieri e Rodrigo Mattos
Do UOL, em São Paulo e no Rio de Janeiro

  • Rivaldo Gomes/Folhapress

    Mauricio Galiotte, presidente do Palmeiras, disse não à proposta da Globo

    Mauricio Galiotte, presidente do Palmeiras, disse não à proposta da Globo

A diretoria do Palmeiras rejeitou inicialmente a proposta da Globo de contrato de TV aberta e pay-per-view para o Brasileiro-2019 por conter uma redução no valor pelo efeito do acordo como o Esporte Interativo. O modelo era similar ao aceito pelo Santos. As negociações vão continuar e até a Crefisa intercedeu com alguns contatos.

A Globo fez uma proposta igual para todos os clubes que acertaram acordo de TV fechada com o Esporte Interativo. Pelo modelo proposto, haveria uma redução em relação aos outros quando exibições de jogos nos canais da Turner interferissem nos direitos de TV aberta e PPV. A tendência é que isso ocorra na maioria das partidas.

Essa redução iria variar entre 5% e 20%, dependendo das partidas do clube. De resto, a proposta é similar a de outros times, com divisão do bolo de 40% igual, 30% por exibição na TV e 30% por posição no campeonato. O PPV será distribuído por número de assinantes do time. Atlético-PR e Bahia já tinham rejeitado essa proposta, e reclamaram do Santos por fechar o acordo com a Globo sem ouvi-los, já que tinham compromisso de negociar em conjunto.

Os dirigentes do Palmeiras decidiram negociar sozinhos, mas não gostaram do que ouviram. No clube, há a visão de que, se a Globo mantiver o efeito redutor no contrato, não vale nem sentar à mesa para conversa.

Do lado da Globo, é visto como normal o vaivém nas conversas. "Há negociações em andamento com o Palmeiras. Não podemos comentar, mas é uma negociação complexa, com muitas idas e vindas", afirmou o diretor de direitos esportivos da Globo, Fernando Manuel.

As conversas se tornaram tão complicadas que até a Crefisa se envolveu no meio. Inicialmente, a empresa patrocinadora do Palmeiras foi procurar o clube para saber por que ele não tinha fechado com a Globo. Obviamente, a exibição do clube em TV Aberta na emissora tem impacto para a empresa que paga alto pelo patrocínio.

A dona da instituição financeira, Leila Pereira, ouviu do clube que a emissora tinha proposto uma valor com redução para o clube. Assim, a patrocinadora entendeu e ficou ao lado do Palmeiras, prometendo fazer contatos para ajudar.

A atuação da empresa, no entanto, não é vista como decisiva dentro do clube. A força da Crefisa é que, além de patrocinadora do Palmeiras, é uma forte anunciante da Globo, fazendo propaganda em vários momentos da grade da programação, seja como seu nome ou com a Faculdade das Américas.

Assim, as negociações entre Globo e Palmeiras seguem emperradas. Caso o clube não feche com a Globo, o clube tem um valor mínimo garantido de cobertura do Esporte Interativo pelos direitos de TV aberta.

Últimas notícias Ver mais notícias