Presidente do Miami FC defende mudanças no acesso à Major Soccer Soccer

Miami, 16 mai (EFE).- O presidente do Miami FC, o italiano Riccardo Silva, afirmou nesta quarta-feira que gostaria de uma mudança no sistema de campeonatos de futebol dos Estados Unidos, para que os clubes pudessem conquistar vagas na Major League Soccer (MLS) dentro de campo, em vez de pagarem pelo acesso à principal liga americana.

"Não é natural que o time ganhe a segunda divisão e não suba para a primeira", disse Silva após uma conferência com organizadores de eventos esportivos em Miami Beach.

Criado em 2015 pelo empresário italiano junto com o ex-zagueiro Paolo Maldini, o Miami FC foi, no ano passado, o campeão da Liga de Futebol da América do Norte (NASL), o campeonato de segunda divisão que é disputado com times dos Estados Unidos e do Canadá.

Em fevereiro deste ano, a NASL cancelou a temporada de 2018 por falta de equipes. Com isso, o Miami FC, comandando pelo técnico e ex-jogador Alessandro Nesta, teve que jogar a quarta divisão, apesar de ter vencido a última temporada.

Riccardo conta que, diante dessa situação, a equipe tem focado na US Open Cup, que é considerada por ele como uma 'Liga dos Campeões', e que, apesar deste problema com a NASL, o clube terá forças para futuros projetos, como a criação de uma escolinha para jogadores de base.

"Veremos se no próximo ano a NASL será retomada ou se participaremos de outra liga, como a USL (United Soccer League). Temos muita confiança para o futuro", acrescentou.

O empresário italiano afirmou que gostaria de competir, no futuro, contra a equipe que está sendo criada pelo ex-jogador inglês David Beckham, também na Flórida, e que já faz parte da MLS. Para conseguir a aprovação na Liga, Beckham e os sócios tiveram que desembolsar US$ 25 milhões em 2014.

"Desejo toda a sorte à equipe de Beckham pelo bem do futebol em Miami. Espero que tenham muito sucesso. Acredito que ter duas equipes de futebol em Miami fará com que cresça o interesse pelo futebol na cidade, mesmo que joguem em ligas diferentes", disse.

Para Riccardo, poderia haver uma rivalidade "fantástica e justa" entre os dois times, o que, segundo ele, só reforça a necessidade do campeão da NASL poder subir para a Major League Soccer (MLS).

"O problema das ligas fechadas é que bloqueias o talento das equipes. Não é possível desenvolver a qualidade delas, e isso acaba criando uma instabilidade. Desse jeito, o futuro da equipe não depende só dela. A classificação deveria ser feita dentro de campo, e não pagando uma entrada como na MLS", argumentou Riccardo.

O italiano destacou que este formato vai contra o estatuto da Fifa e também contra o desejo dos torcedores e jogadores por um sistema de ligas aberto.

Segundo uma pesquisa divulgada nesta semana pela Universidade de St. Thomas, em Miami, quase 70% dos torcedores de futebol na cidade são a favor de um sistema em que as equipes se classifiquem e também sejam rebaixadas nas ligas e mais de 80% consideram que o futebol pode ter sucesso em Miami.

"Acredito que é questão de tempo. As coisas boas às vezes levam tempo. Somos pacientes. O bom vencerá cedo ou tarde", afirmou.

Últimas notícias Ver mais notícias