Mackenzie Dern rebate críticas por não bater peso no UFC: "Vão me ver seca"

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)
Ag. Fight

  • Isaac Brekken/Getty Images

    Mackenzie Dern circula pelo octógono antes da luta contra Ashley Yoder, no UFC 222

    Mackenzie Dern circula pelo octógono antes da luta contra Ashley Yoder, no UFC 222

O excesso de peso de Mackenzie Dern na pesagem oficial para o UFC 224, no Rio de Janeiro, em maio, movimentou o mundo do MMA. Em primeiro lugar, o fato imediatamente gerou críticas por parte das lutadoras do evento. Posteriormente, este se tornou um dos casos atrelados ao argumentos de Dana White, presidente do Ultimate, para justificar a mudança no sistema de pesagem, que deve voltar a acontecer cerca de 24 horas antes da luta, e não mais com quase 36 horas de antecedência. E, por fim, a falha na balança motivou Dern a modificar por completo seus treinos e a sua preparação, com o objetivo de não repetir o que ela classifica como "vergonha".

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight no UFC Performance Institute, em Las Vegas (EUA), a brasileira-americana detalhou sua reação aos ataques que sofreu - de lutadoras como Felice Herrig e Angela Hill, por exemplo - e contou como foi a conversa com os dirigentes do Ultimate após sua falha na balança - a terceira em sete lutas de MMA.

Com isso em mente, a atleta afirmou que o triunfo sobre Amanda Bobby Cooper no Rio teve um sabor especial, justamente por causa das dificuldades pelas quais passou durante os meses pré-luta. Semanas antes do confronto, Mackenzie foi expulsa da MMA Lab, equipe onde treinava no Arizona (EUA), logo após a vitória contra Ashley Yoder, quando venceu uma decisão apertada dos juízes em março passado.

"Fiquei um tempo no Rio depois da minha luta. Foi uma mistura de emoções. Fiquei bem feliz com a minha vitória, pelo jeito que foi: eu sou do jiu-jitsu, consegui um knockdown e levei a menina pro chão assim, então foi uma superação para mim. E por tudo que eu superei durante meu camp: saí de uma equipe, que não foi uma coisa esperada... Não foi necessariamente por eu ter ganho da Amanda, mas foi a felicidade por todos os meus pequenos desafios que enfrentei durante meu camp", contou.

Obviamente, entretanto, a vitória não teve o mesmo gosto para o mundo do MMA. De acordo com Dern, a situação a fez perceber que agora ela terá de se provar não mais como atleta de alto nível técnico, mas como profissional. À Ag. Fight, ela prometeu que "nunca mais" vai exceder o peso de sua categoria.

"Desde a hora que eu não bati peso, já sabia que, mesmo ganhando, não seria tão doce a vitória. Eu sabia que a galera ia falar disso e que eu ia ter que me provar de uma outra forma. Não só por ser uma 'jiujiteira' no MMA, de aprender a trocar e tal. Mas agora vou ter que provar que sou uma atleta profissional, que levo isso a sério, que não estou de brincadeira, tentando desrespeitar minha adversária ou de levar alguma vantagem para cima dela. Nunca foi minha intenção fazer isso. Perdi muito dinheiro. E, fora o dinheiro, é uma vergonha acontecer isso, todo mundo falando mal. Mas isso só me faz uma atleta melhor. Eu estou aqui no instituto do UFC em Vegas. Eles me trouxeram para cá. Estão investindo muito, estão me ajudando muito com isso, e eu tenho certeza absoluta de que nunca mais vai acontecer isso", declarou.

Justamente por esperar as reações agressivas, Mackenzie afirmou que compreende a irritação das colegas de categoria. De acordo com a multicampeã de jiu-jitsu, como o processo de corte de peso é muito agressivo, qualquer lutador que vê um possível rival acima do limite da categoria tende a achar que se trata de desonestidade.

"Não me incomodou, porque eu sei que é uma coisa que eu sei que todo mundo está sofrendo. Ninguém quer enfrentar alguém com vantagem. Eu imagino que a pessoa deve se sentir desrespeitada: 'Poxa, eu estou aqui sofrendo'. E aí acha que a pessoa não sofreu, nem tentou, que 'vou pagar para ela e é de boa'. Eu entendo isso. E mais ainda porque, depois da luta, Dana falou da mudança da pesagem, e a minha pesagem causou tudo isso, então entendo que os atletas podem sentir isso. Mas também posso ver o lado bom: tem vários atletas que não bateram peso e eles não falam tanto. Bem ou mal, se estão falando, é porque eu estou chamando a atenção de alguma forma. Ou eles acham que eu sou ruim demais, ou que sou boa, ou estão pensando 'por que estão falando mal dela?' Não que eu queira comparar, tipo falando para falar mal do outro, porque não quero que ninguém fale de ninguém, mas sinto que estão mais em cima de mim", afirmou.

Ela ainda relatou como foi a conversa com os representantes do UFC após a pesagem do UFC 224. De acordo com Mackenzie, o trato dos dirigentes do Ultimate com ela não foi ofensivo, e, sim, cuidadoso. Nas palavras dela mesma, foi "um esporro bem de leve".

"A primeira coisa, óbvio, é dizerem que você tem que subir de categoria. Mas não é mandando, nada. é me perguntando: 'O que você acha? A gente acha que é melhor pra você'. Eles falam essas coisas. 'Se você quer ficar, vamos ver se você tem altura, estrutura, se seu corpo é de 115, ou se você tem um biotipo de um 125.' Foi uma coisa bem 'Olha, você tem essas opções. A gente tem nossa opinião, mas vai te ajudar'. Eu sei que eles não gostaram, que eles ficaram um pouco chateados, porque é uma coisa feia, mas eu senti que eles querem que eu passe confiança para eles de que eu estou levando isso a sério, que não vai acontecer de novo e que eles podem confiar em mim. Eu quero ser uma atleta que, poxa, alguém saiu em cima da hora e eles estão precisando de alguém para entrar. Agora eu não sou essa atleta, porque meu peso fica muito alto. Eles não podem me chamar em cima da hora. Mas eu quero ser essa atleta que, poxa, estou bem preparada, mesmo fora de camp e tudo. Fica claro que eles estão bravos, não gostaram, mas não é nada de deixar desconfortável ou triste. Na verdade, só motiva", contou.

Dern ainda não tem adversária para sua próxima luta, mas prometeu que baterá o peso da categoria e que não vai decepcionar seu público outra vez. "Vocês podem esperar uma Mackenzie bem seca, em boa forma, vou chegar lá em novembro da melhor forma possível, e vocês vão ver uma Mackenzie muito profissional e muito feliz, porque eu estou fazendo o que eu amo fazer. E, poxa, tentar fazer uma luta para vocês é o mais importante para mim", encerrou a lutadora, que está invicta em sete combates - os dois últimos dentro do UFC.

Últimas notícias Ver mais notícias