Fora do UFC desde 2015, lutador tem novas acusações de violência doméstica

Ag. Fight

  • Steve Marcus/Getty Images/AFP

    Nick Diaz

    Nick Diaz

O caso de violência doméstica envolvendo Nick Diaz parece estar longe do fim e afasta cada vez mais as chances do atleta de voltar aos octógonos em breve. Na última terça-feira (10), ocorreu na cidade de Las Vegas (EUA) uma nova audiência na Justiça para atualizar o julgamento do lutador. De acordo com o site 'MMA Junkie', foram adicionadas ao nome do lutador duas acusações: uma por violência por estrangulamento, e outra por danos corporais significativos.

Na audiência anterior, no mês de junho, os promotores pediram um aumento na fiança a ser paga por Nick Diaz de R$ 68 mil para cerca de R$ 380 mil. Entretanto, o pedido foi negado pelos juízes do Tribunal. De acordo com Ross Goodman, advogado do lutador, não há evidências que justifiquem as novas acusações contra seu cliente.

"Ficamos surpresos que o Estado tenha apresentado uma queixa no tribunal nesta manhã, uma vez que não há novas evidências que justifiquem a cobrança de taxas. Independentemente disso, estamos confiantes de que a verdade virá à tona justificando o Sr. Diaz após um interrogatório minucioso expondo as alegações inconsistentes e contraditórias da suposta vítima" , disse o advogado em comunicado ao site 'MMA Junkie'.

Requisitado por Goodman, o processo - que começou com a prisão de Diaz no dia 24 de maio - já possui uma nova audiência com data marcada: 31 de julho. O americano não atua pelo UFC desde janeiro de 2015, quando foi derrotado por Anderson Silva, que posteriormente testaria positivo para o uso de substância ilícitas e teria sua vitória anulada. Na ocasião, Nick também falhou no exame antidoping por uso de maconha.

Últimas notícias Ver mais notícias