Paquetá vira "problema" em um Flamengo que ainda tenta salvar 2018

Vinicius Castro
Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Daniel Vorley/AGIF

    Lucas Paquetá foi vendido por 35 milhões de euros ao Milan-ITA: R$ 100 mi para o Fla

    Lucas Paquetá foi vendido por 35 milhões de euros ao Milan-ITA: R$ 100 mi para o Fla

Lucas Paquetá passou a ser visto como solução do Flamengo desde que foi "descoberto" pelo colombiano Reinaldo Rueda. A titularidade chegou e o camisa 11 se transformou no principal jogador do Rubro-negro. A valorização resultou na negociação para o Milan-ITA e também em novo "problema" no clube que ainda tenta salvar a temporada com um título.

O investimento realizado pelos cariocas no elenco é considerável. O Flamengo gasta mais de R$ 10 milhões por mês com os seus jogadores e coleciona fracassos recentes. Na gestão Eduardo Bandeira de Mello, apenas uma Copa do Brasil (2013) e dois Estaduais (2014 e 2017) foram conquistados. Pouco para quem tinha como meta vencer a Copa Libertadores e disputar o Mundial Interclubes.

Com as recentes eliminações na competição continental e na Copa do Brasil, o Campeonato Brasileiro virou alternativa única para que a administração tente encerrar o trabalho com um título. É verdade que o Flamengo está na briga pela taça - quatro pontos atrás do líder Palmeiras -, assim como Lucas Paquetá se transformou em incógnita no Ninho do Urubu.

Embora o discurso seja profissional e de elogios ao jovem de 21 anos, internamente existe a pergunta sobre qual jogador se apresentará nas últimas dez partidas com a camisa rubro-negra.

Alguns fatores são debatidos, como a forma com a qual o camisa 11 lidará com o grande passo na carreira, assim como a postura em campo nos compromissos absolutamente decisivos. Paquetá tem ao lado empresários, família e profissionais do Flamengo para ajudá-lo no processo. O peso de ser a sexta maior venda do futebol brasileiro não é pequeno, da mesma forma que a cobrança da torcida promete ser intensa para que apresente o futebol que a encantou até o encerramento do Brasileirão.

Basta lembrar que quando Paquetá caiu de rendimento e foi até vaiado, o Flamengo desandou. Quando ele joga bem, as coisas geralmente funcionam no Rubro-negro. Foi assim na vitória recente sobre o Corinthians por 3 a 0. Se voltar a oscilar, dificilmente o clube carioca fechará o ano com sorrisos depois das seguidas frustrações.

"É preciso mostrar o que está acontecendo na carreira dele. É tudo muito precoce, rápido. É um momento importantíssimo do Campeonato Brasileiro. É bom manter o foco e a concentração. Seria fundamental que ele terminasse no mais alto nível de competitividade", comentou o técnico Dorival Júnior, entre elogios ao futuro jogador do Milan pelo foco nos treinamentos.

"A expectativa é a de que siga focado e concentrado. Não vejo motivo para nada diferente. Sinto isso nas atividades. Interesse e integração", encerrou.

Últimas notícias Ver mais notícias